Tântalo

mitológico rei da Frígia ou da Lídia na mitologia grega
Disambig grey.svg Nota: Se procura o elemento Tântalo, veja Tântalo (elemento químico).

Na mitologia grega, Tântalo foi um mitológico rei da Frígia ou da Lídia, casado com Dione. Ele era filho de Zeus e da princesa Plota. Segundo outras versões, Tântalo era filho do Rei Tmolo da Lídia (deus associado à montanha de mesmo nome). Teve dois filhos: Níobe e Pélope.

Certa vez, ousando testar a omnisciência dos deuses, roubou os manjares divinos e serviu-lhes a carne do próprio filho Pélope num festim. Como castigo foi lançado ao Tártaro, onde, num vale abundante em vegetação e água, foi sentenciado a não poder saciar sua fome e sede, visto que, ao aproximar-se da água esta escoava e ao erguer-se para colher os frutos das árvores, os ramos moviam-se para longe de seu alcance sob a força do vento. A expressão suplício de Tântalo refere-se ao sofrimento daquele que deseja algo aparentemente próximo, porém, inalcançável, a exemplo do ditado popular "Tão perto e, ainda assim, tão longe".

Existem outras versões para o motivo de Tântalo ter sido punido. Diodoro Sículo diz que Tântalo, rei da Paphlagonia na Ásia,[1] por ser filho de Zeus, foi admitido na mesa dos deuses, ouviu seus segredos, e divulgou entre os mortais, sendo punido por isso.[2]

O nome Tântalo aparece no Canto XI da Odisseia de Homero, nos versos 582-592.

Na edição de 2011 pela Editora 34 e tradução de Trajano Vieira:

"Dentro de paul cruzei com Tântalo
sofrente, pois que a água lhe lambia o mento.
Sedento, não tocava nela: toda vez
que o velho se curvava com garganta seca,
a água tragada se ocultava, e, aos pés, o solo
enegrecia, pois um demo a ressecava.
Pendiam frutos de árvores altifrondosas
sobre a cabeça: rútilas maçãs, romãs,
peras, dulçor de figo, olivas suculentas,
mas quando o ancião erguia as mãos para colhê-las,
o vento as arrojava em meio a umbrosa nuvem."[3]

Ver tambémEditar

Árvore genealógica baseada em Higino[4][5][6][7]:

Himas
Zeus
Plota
Atlas
Tântalo
Dione
Pélope
Níobe

Houve outros personagens com o nome Tântalo:

Referências

  1. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, 4.74.1
  2. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, 4.74.2
  3. HOMERO (2011). Odisseia. São Paulo: Editora 34. pp. 351–352  Parâmetro desconhecido |Tradução= ignorado (ajuda)
  4. Higino, Fabulae, 82, Tântalo
  5. Higino, Fabulae, 83, Pélope
  6. Higino, Fabulae, 83, Níobe
  7. Higino, Fabulae, 155, Filhos de Júpiter
  Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.