Teletransporte quântico

Teletransporte quântico é uma tecnologia que permite o teletransporte de informação[1], como o spin ou a polarização, já existe, inclusive, teletransporte de matéria, por meios exclusivamente quânticos, que independem de meios de transmissão. A largura de banda para o teletransporte quântico dobrou em 2015. É uma técnica chinesa de transferência de informações sobre uma partícula de modo que uma outra partícula tome duas, em vez de apenas uma, das propriedades quânticas da partícula inicial[2].

O teletransporte carrega informações entre átomos emaranhados

O teletransporte foi demonstrado em muitas plataformas experimentais de processamento de informações quânticas, teletransporte usando fótons eletromagnéticos para criar pares de qubits emaranhados remotamente, e é uma ferramenta essencial para correção de erros quânticos, computação quântica baseada em medições e teletransporte quântico de portas.[3]

A empresa D-Wave produz computadores quânticos baseados em spins. Uma das técnicas de física e engenharia utilizadas é o uso de grafeno, já que elétrons se movem como se não possuíssem massa.

Hoje existem diversas bibliotecas para computação quântica. Muitas delas usam como interpretador de baixo-nível a linguagem OpenQASM. Também já existem frameworks para computação quântica, como Qiskit que pode ser utilizado em linguagens como Python 3.

ArmazenamentoEditar

Uma equipe de pesquisadores, em 2019, conseguiu teletransportar informações quânticas com segurança para um diamante. Essa conquista pode ter implicações significativas para a tecnologia de informação quântica de como as informações confidenciais são compartilhadas e armazenadas.[4]

Teletransporte de informaçõesEditar

O termo teletransporte quântico foi cunhado pelo físico Charles Bennett. O artigo seminal que expôs primeiro a idéia do teletransporte quântico foi publicado por C. H. Bennett, Gilles Brassard, Claude Crépeau, Richard Jozsa, Asher Peres e William K. Wootters em 1993. O processo utiliza um efeito da mecânica quântica chamado de entrelaçamento quântico, pelo qual partículas subatômicas que passam por processos quânticos mantêm um tipo de associação intrínseca mesmo depois de separadas, à semelhança do fenômeno de ressonância, mas teoricamente independente da distância.

O exemplo mais citado é o de duas partículas criadas conjuntamente que assumem spins opostos e, ao se determinar o spin de uma, o spin da outra fica instantaneamente determinado, mesmo que elas estejam separadas.

A tecnologia tenta usar esse efeito para telecomunicações ou armazenamento de informação num possível computador quântico.

Resumidamente, o teletransporte, que é a base da computação quântica, é uma interação entre a matéria que reverbera em uma alteração material em determinado ponto do Universo, muito embora a substituição de parte da camada material do Universo como uma estrutura em bloco seja possível pela ciência comum em alguns anos. Imagine que se você tocar o ar ao respirar você já está reestruturando inúmeros Universos em um instante, afinal a nossa realidade material é apenas um espectro que podemos experienciar.

Se você pensar bem, o Universo já está guardado como informação. Os corpos estão suspensos. Se você compreender que, mesmo que não aplicado universalmente ainda, o envio de matéria ao passado é uma ressonância da estrutura material à qual o tempo está declarado como variável, como vemos neste ensaio, fica claro que o limite é o bem-estar comum. Porém é óbvio que os cientistas não usariam a tecnologia para alterar o passado. Seria completamente inconsequente e inútil, afinal.

Se você pode enviar matéria como informação e a receber como dado, você tem o Universo provável e muitos Universos improváveis em suas mãos como material de uso. Entretanto há regras universais sobre seus usos. Também deve-se atentar que a marinha americana relatou publicamente sobre aeronaves não-identificadas com uso de tecnologias bem mais avançadas que as utilizadas publicamente por humanos.

Referências

  1. Fapesp
  2. Physicists double their teleportation power - Quantum technique transfers two photon properties por ANDREW GRANT em 25 de fevereiro de 2015
  3. Malewar, Amit (20 de junho de 2020). «Teleportation is possible in the quantum world». Tech Explorist (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020 
  4. Sakharkar, Ashwini (1 de julho de 2019). «Researchers teleported quantum information securely within a diamond». Tech Explorist (em inglês). Consultado em 1 de julho de 2019 


TUTORIAL, em inglês: https://www.oreilly.com/library/view/programming-quantum-computers/9781492039679/ch04.html

  Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.