Terramoto de Liubliana de 1895

evento sísmico na Eslovénia

O terramoto de Liubliana de 1895 (em esloveno: ljubljanski potres)[1] ou terramoto da Páscoa (em esloveno: velikonočni potres) atingiu Liubliana (a capital e a maior cidade de Carniola, um domínio da Coroa Austro-Húngara e capital da Eslovénia) no dia 14 de abril, domingo de Páscoa. Foi o mais recente e destrutivo[2] sismo naquela área.

Rua do Hospício (Špitalska ulica; agora Rua Stritar, Stritarjeva ulica)
Rua do Lobo (Wolfova ulica)
O Convento das Clarissas no local do que é hoje o Banco da Eslovénia

CaracterísticasEditar

Com uma magnitude de 6,1 na escala de Richter e uma intensidade máxima de VII-IX na escala de Mercalli, o terramoto deu-se às 20:17 UTC (22:17 hora local).[3]epicentro localizou-se em Janče, cerca de 16 quilómetros a leste do centro de Liubliana[4] e o seu foco a 16 quilómetros de profundidade. O sismo foi sentido num raio de 350 km e numa área de 385 000 km2, chegando a atingir as cidades de Assis, Florença, Viena, e Split.[5] Mais de 100 réplicas foram registadas nos dez dias seguintes.

Após o terramotoEditar

Até ao evento, Liubliana era uma cidade de aspeto provincial. A expansão da cidade e a difusão da Secessão de Viena deram origem a uma mudança na arquitetura, hoje justaposta com os restantes edifícios anteriores, de estilo Barroco. Muitas construções, como o Mladika, foram construídos no rescaldo do evento. O período de reconstrução entre 1896 e 1910 é referido como o "renascimento de Liubliana", não apenas devido às alterações na arquitetura, a partir da qual uma grande parte dos edifícios atuais se remontam, mas graças à reforma da administração urbana, saúde, educação e turismo que se seguiram. A partir de 1895 e até 1910, 436 novos edifícios foram criados e centenas de edifícios foram renovados ou requalificados seguindo o estilo da Sucessão de Viena. A maioria das pontes, monumentos, parques e principais edifícios datam desta época. Uma capela, dedicada a Nossa Senhora do Rosário, foi erigida em Janče em 1895 pelo povo de Liubliana para que Maria os protegesse de tais desastres. Em 1897, o primeiro observatório sismológico austro-húngaro foi criado na Rua Vega (Vegova ulica) de Liubliana.

ReferênciasEditar

  1. Verdinek, Alenka (2005). «Ljubljanski potres v slovenskih literarnih delih» [Ljubjana Earthquake in Slovene Literary Works] (PDF). Slavistična revija [Journal of Slavic Linguistics] (em Slovenian). 53 (4). ISSN 0350-6894 
  2. «Zmeren potresni sunek v Ljubljani». RTV Slovenija. Prvi interaktivni multimedijski portal, MMC RTV Slovenija (em esloveno). Consultado em 24 de fevereiro de 2010 
  3. «Potresna aktivnost v Sloveniji: Močni potresi v preteklosti» [Seismic Activity in Slovenia: Strong Earthquakes in the Past] (pdf). Potresna aktivnost v Sloveniji [Seismic Activity in Slovenia] (em Slovenian). Potresna aktivnost v Sloveniji [Seismic Activity in Slovenia]  !CS1 manut: Língua não reconhecida (link)
  4. «Planinski dom 2. grupe odredov na Jančah» [Mountain Hut of the 2nd Group of Detachments at Janče]. Pot kurirjev in vezistov NOV Slovenije [Path of Couriers and Operators of the National Liberation War of Slovenia] (em Slovenian). Pot kurirjev in vezistov NOV Slovenije [Path of Couriers and Operators of the National Liberation War of Slovenia]. ISBN 961-238-581-5  !CS1 manut: Língua não reconhecida (link)
  5. Orožen Adamič, Milan (1995). «Earthquake Threat in Ljubljana». Geografski zbornik [Acta geographica]. 35: 45–112. ISSN 0373-4498