Abrir menu principal

A Cabana (2017)

filme de 2016 dirigido por Stuart Hazeldine
(Redirecionado de The Shack (2017))
The Shack
A Cabana (PRT/BRA)
 Estados Unidos
2017 •  cor •  132 min 
Direção Stuart Hazeldine
Roteiro John Fusco
Elenco Sam Worthington
Octavia Spencer
Tim McGraw
Alice Braga
Radha Mitchell
Aviv Alush
Género drama
fantasia
Música Aaron Zigman
Cinematografia Declan Quinn
Edição William Steinkamp
Distribuição Brasil Paris Filmes
Lançamento Estados Unidos 3 de março de 2017
Brasil 6 de abril de 2017
Idioma inglês
Orçamento US$ 20.000.000
Receita US$ 96.000.000 (Aproximadamente)
Página no IMDb (em inglês)

The Shack (no Brasil, A Cabana[1]) é um filme de drama produzido nos Estados Unidos, dirigido por Stuart Hazeldine e roteirizado por John Fusco baseado no romance homônimo de William P. Young (2007). A Cabana foi lançado no Brasil em 6 de abril de 2017.[2]


SinopseEditar

O filme aborda a questão recorrente da existência do mal através da história de Mackenzie Allen Phillips, um homem que vive sob o peso da experiência de ter sua filha Missy, de seis anos, raptada durante um acampamento de fim de semana. A menina nunca foi encontrada, mas sinais de que ela teria sido violentada e assassinada são achados em uma cabana perdida nas montanhas.

Vivendo desde então sob a "A Grande Tristeza", Mack, posteriormente, recebe um misterioso bilhete supostamente escrito por Deus, convidando-o para uma visita a essa mesma cabana. Ali, Mack terá um encontro inusitado com Deus, de quem tentará obter resposta para a inevitável pergunta: "Se Deus é tão poderoso, por que não faz nada para amenizar nosso sofrimento?".

ElencoEditar

CríticasEditar

As críticas ocorrem de vários meios religiosos, sobretudo, dos evangélicos. Em senso comum dos religiosos, a caracterização da Trindade dentro do filme (e do livro) é errada pois Deus é interpretado por uma mulher negra (Octavia Spencer), Jesus por um jovem despojado de traços árabes (Aviv Alush) e o Espírito Santo por uma jovem oriental (Sumire Matsubara). Para muitos, dar essas características para à “Santa Trindade”, sobretudo fazendo Deus ser vivido por uma mulher, é uma heresia e não vai ao encontro dos dogmas cristãos praticados pela maioria das denominações.

E os evangélicos criticam o filme que mostra um Deus que é só amor, que quer redimir a todos, independente de seus erros, e um Jesus que não é divino, mas prioritariamente humano.[3]

CuriosidadesEditar

  • As gravações começaram em 8 de junho de 2015, em Vancouver, no Canadá.[4]
  • Baseado no best-seller homônimo de William P. Young.[4]
  • Forest Whitaker foi considerado para assumir a direção do filme, mas ele acabou abandonando a proposta.[4]
  • Em 2005, William Paul Young estava à beira da falência. Foi nesta época que ele decidiu escrever sobre seus sentimentos em relação a Deus e presentear sua família e amigos próximos com o livro. Ele nunca imaginou que um dia venderia milhões de cópias do livro A Cabana, obra a qual é baseado o filme.[4]

Referências

  1. «A Cabana». Brasil: Adorocinema. Consultado em 8 de abril de 2017 
  2. Célio Silva, do G1, Rio de Janeiro (6 de abril de 2017). «'A Cabana' fica no meio termo entre mensagem edificante e aula de catequese; G1 já viu». G1. Globo.com. Consultado em 8 de abril de 2017 
  3. «"A Cabana" causa mal-estar entre evangélicos, que acusam o filme de heresia - Jornal Opção». Jornal Opção. 12 de abril de 2017. Consultado em 1 de dezembro de 2017 
  4. a b c d AdoroCinema, A Cabana: Curiosidades, consultado em 15 de maio de 2019 
  A Wikipédia tem os portais:

Referências

  Este artigo sobre um filme estadunidense é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
 
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada. Foi sugerido que adicionasse esta.