Tirso de Apolônia

Santo Tirso (em grego: Θύρσος; romaniz.: Thýrsos, literalmente Tirso (i.e.,um bastão envolvido em hera e ramos de videira e encimado por uma pinha; 251) foi um romano do século III, venerado como um mártir cristão. Foi morto por sua fé em Apolônia, Frígia, durante a perseguição de Décio (r. 249–251). Com ele receberam a palma do martírio Lêucio e Calínico.

São Tirso
Santos Tirso (esquerda), Lêucio (centro) e Calínico (direita)
Morte 251 em Cesareia, Bitínia
Veneração por Igreja Católica
Igreja Ortodoxa
Festa litúrgica 14 de dezembro
28 de janeiro
Atribuições Serra de mão
Padroeiro Sisteron
Gloriole.svg Portal dos Santos

Ainda um catecúmeno, a tradição afirma que Tirso foi sentenciado a cruéis torturas depois de recusar-se a oferecer sacrifícios aos ídolos e foi condenado a ser serrado ao meio. No entanto, a serra não penetrou porque ficou tão pesada que os algozes não podiam usá-la. Citando as palavras do profeta Jeremias (Jeremias 2:27), ele ridicularizou aqueles que cultuavam madeira e pedra. Suas pernas e braços foram arrancados e seus dentes, despedaçados com um martelo. São Lêucio, após reprovar o governador Cumbricius, foi enforcado, teve seu corpo destroçado e então decapitado. Calínico, um sacerdote pagão, impressionado com a constância do mártir, foi convertido após ver o martírio e também foi decapitado.[1]

VeneraçãoEditar

As relíquias de Santo Tirso foram trazidas para Constantinopla. O seu culto popularizou-se na Península Ibérica, onde era conhecido como Santo Tirso durante a Idade Média e hoje é assim denominado sendo, junto de Santo Tomás de Aquino e Santo Cristo, os três únicos santos da Igreja católica que tem santo antes de consoante, contrariando a regra convencionada de são.

Tirso tinha um ofício completo na liturgia moçárabe. Algumas de suas relíquias foram trazidas para a França: Ele é, portanto, o santo titular da catedral de Sisteron nos Alpes da Alta Provença, a Cathédrale Notre Dame et Saint Thyrse e, consequentemente, o santo padroeiro da cidade. Uma igreja do século XII também foi dedicada a ele em Châteauponsac.


Referências

  1. «Martyr Thyrsus of Apollonia» (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2014