Tomé de Sousa, senhor de Gouveia

D. Tomé de Sousa, 8º senhor de Gouveia Sobre-o-Tâmega e de Riba-Tâmega, Alvoco da Serra, padroeiro da Abadia de Santa Maria de Vilaça, alcaide-mor de Montalegre, comendador de Messejana na Ordem de Cristo, vedor da Casa Real,[1] e mestre-sala (11 de Novembro de 1643).[2]

Tomé de Sousa

Alcaide-mor de Montalegre
 
Cônjuge Francisca Coutinho e Menezes
Descendência Filhos
  • Fernão de Sousa de Castelo-Branco Coutinho e Menezes
  • João de Sousa
  • Cecília de Menezes
  • Maria de Menezes
Nome completo Tomé de Sousa
  Reino de Portugal
  Reino de Portugal
Pai Fernão de Sousa
Mãe Maria de Castro

Foi um d´ Os Quarenta Aclamadores de D. João IV de Portugal,[3] no 1.º de Dezembro de 1640 que permitiu restaurar a governação do Reino de Portugal por um rei português[4].

A sua presença consta no 1.º "Auto do Levantamento e Juramento d' El-Rei Dom João IV" (de fidelidade) realizado no dia 15 de Dezembro de 1640.[5]

Dados genealógicosEditar

Era irmão de D. Diogo de Sousa, bispo de Miranda e arcebispo de Évora, inquisidor do Santo Ofício.

Pais: Fernão de Sousa, 6º senhor de Gouveia, Comendador de Gundar na Ordem de Cristo, e governador de Angola, filho de Martim Afonso de Sousa, 5º senhor de Gouveia e Joana de Tovar.

  • D. Maria de Castro, filha de D. Simão de Castro, senhor de Rezende e Reriz, e de Margarida de Vasconcelos.

Casou com:

Filhos:

Referências

BibliografiaEditar

  • Nobiliário das Famílias de Portugal, Felgueiras Gayo, Carvalhos de Basto, 2ª Edição, Braga, 1989, vol. III-pg. 453 (Carvalhos); vol. IV-pg. 17 (Coutinhos) e vol. X-pg. 538 (Sousas).