Totò le Mokò

filme de 1950 dirigido por Carlo Ludovico Bragaglia

Totò le Mokò (prt: Totó Desceu à Cidade[1]; bra: Totó, o Gângster[2]) é um filme italiano de 1949, dirigido por Carlo Ludovico Bragaglia.[3][1]

Totò le Mokò
Uma cena do filme
No Brasil Totó, o Gângster
Em Portugal Totó Desceu à Cidade
 Itália
1949 •  pb •  81 min 
Realização Carlo Ludovico Bragaglia
Argumento Arduino Maiuri, Vittorio Metz
Elenco Totò, Carla Calò
Género comédia
Idioma italiano (idioma)

SinopseEditar

A história passa-se no Kasbah de Argel. Antonio Lumaconi, dito Totò, é um homem orquestra napolitano, primo de um famoso bandido, Pepè Le Mokò, que morre durante um tiroteio. Sendo o parente mais próximo do bandido, é oferecida a Totò a chefia do bando de delinquentes do seu primo. Ele vê aqui a hipótese de realizar o seu sonho de ser um grande músico, até descobrir que o que esperam dele é comandar os bandidos. Depois de uma série de mal-entendidos, e graças a uma poção misteriosa que lhe é dada pela mulher de Pepè, Suleima, Totò ganha confiança e torna-se invencível. Mas apaixona-se por Viviana, desperta os terríveis ciúmes de Suleima que, através de feitiços, consegue, uma noite, cortar-lhe o cabelo, onde residia toda a sua força. Entretanto Pepè, que apenas se tinha fingido morto, volta e desafia Totò. Este vence o duelo, pega no dinheiro do bando e volta para Nápoles, desta vez para dirigir uma banda... de música.

Referências

  1. a b «Totó Desceu à Cidade». no CineCartaz (Portugal) 
  2. EWALD FILHO, Rubens (1975). Os filmes de hoje na TV. São Paulo: Global. p. 193. 210 páginas 
  3. Cinematografo
  Este artigo sobre um filme do cinema italiano é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.