Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2010). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Travão de disco de uma motocicleta.
Um freio de pinça sidepull, mostrado na roda da bicicleta da frente.

O travão (pt) ou trava ou freio (pt-BR) é um tipo de mecanismo que permite controlar o movimento de aceleração[nota 1] de um veículo ou de uma máquina, de modo a retardar ou parar seu movimento e/ou impedir que o movimento seja reiniciado.[1]

A energia cinética inerente ao movimento é transformada em calor por fricção. Alternativamente, em travagem/frenagem regenerativa, muita da energia é recuperada e armazenada em um capacitor ou transformada em corrente por um alternador, sendo então armazenada em uma bateria para uso posterior. A energia cinética aumenta com o quadrado da velocidade. Isto significa que se a velocidade de um veículo dobrar, ele tem quatro vezes mais energia.

Os travões devem, consequentemente, dissipar quatro vezes mais energia para parar o veículo e conseqüentemente a distância de travagem/frenagem é quatro vezes maior. Existem travões para a maioria dos veículos sobre rodas, incluindo desde automóveis de todos os tipos, a camiões/caminhões, aviões, comboios/trens, motocicletas, bicicletas e carrinhos de bebê. Os carros de bagagem e os carrinhos de supermercado podem ter travões/freios para o uso em rampas móveis. Alguns aviões têm travões de roda e/ou aerodinâmicos em sua estrutura. [2]

Alguns tipos de travões ou freiosEditar

 
Um freio a disco

AutomóveisEditar

O sistema de travões/freios, é um dos elementos mais importantes na mecânica dos automóveis, pois trata-se de um componente de segurança. São projetados, desenhados e dimensionados, com o objetivo de manter a capacidade de desaceleração do veículo consideravelmente maior que sua capacidade de aceleração.

Composto por um disco ou por um tambor, ou ainda pelos dois, o sistema cumpre sua função pressionando as peças contra a roda, impedindo o movimento da mesma. O primeiro sistema é composto por duas pastilhas, que prendem um disco que acompanha o movimento da roda, enquanto o segundo, através de uma pressão aplicada por lonas colocadas dentro do tambor, faz com que a roda pare. A maior parte dos carros desenvolvidos atualmente possuí um sistema misto, composto por dois discos, à frente, e dois tambores atrás. Alguns possuem discos nas quatro rodas, o que aumenta significativamente a estabilidade na travagem/frenagem. Um dos principais fatores que ajudam a uma melhor performance dos travões/freios é a utilização de um fluido de lubrificação adequado e a correta manutenção dos discos, pastilhas, lonas e tambores.

O tambor é uma das partes do sistema, responsável pela dissipação por energia térmica, gerada durante a travagem/frenagem. A correta dissipação da energia permite que o sistema não sofra sobreaquecimento e melhora a sua capacidade de realizar tal transformação.

Transformação da energiaEditar

Ao esfregar uma mão na outra, com força, sente-se um aumento de temperatura. O mesmo acontece quando se trava/toca-se os freios de uma bicicleta que acaba de descer uma ladeira. Ao diminuir a velocidade de um veículo através de um sistema de travões/freios, a energia cinética responsável pelo movimento é transformada em energia térmica. Por este motivo há uma diminuição da velocidade, dada pela substituição de uma energia pela outra.

Freios IndustriaisEditar

Sistemas de Frenagem Pneumáticos

Projetados para aplicações que necessitam de paradas suaves e proporcionais possuem grande versatilidade de torque, uma vez que podem trabalhar com pressões de ar entre 0,5 e 7,0 bar que combinadas com os diferentes diâmetros de discos disponíveis para um único modelo de freio, transforma-se em uma ótima opção para padronização de sistemas, sendo recomendada para os mais variados segmentos industriais.

Especialmente desenvolvidos para ocupar pequeno espaço físico e gerar alto torque, podem ser fornecidos para trabalho com ar seco ou lubrificado, sempre filtrado. Necessitam apenas de uma válvula de controle (on/off ou proporcional) que pode ser acionada manualmente, pneumaticamente ou eletricamente conforme exigência do projeto.

Todos os freios possuem eixos confeccionados em aço inóx e buchas autolubrificantes, sendo desnecessário a recuperação de desgaste das pastilhas devido ao longo curso dos pistões. Os sistemas de frenagem Pneumáticos possuem como opcionais: sensor de sinalização de freio aberto e fechado, e sensor de detecção de pastilhas gastas, o qual visa informar ao usuário o momento para substituição das pastilhas.

Dimensionados adequadamente em conjunto com seu painel de controle (válvulas, tubulações e conexões), propiciam alta rapidez nas frenagens e desfrenagens, podendo ser fornecidos com atuadores tipo “cilindro-êmbolo” ou “cuícamembrana” conforme exigência de projeto. Seu princípio de funcionamento consiste em frear por pressão pneumática, e desfrear por alívio de pressão e ação de molas.

Tanto podem trabalhar com discos maciços, quanto com discos autoventilados, que proporcionam alta capacidade de dissipação da energia térmica gerada nas frenagens.

Sistemas de Frenagem Eletromagnéticos a Disco

Especialmente desenhados para atender as mais diferentes exigências de projeto, os freios eletromagnéticos a disco podem ser fornecidos com bobina do lado esquerdo, direito ou central em relação aos braços com construção inclinada ou reta, de forma a oferecer condições ideais de instalação e manutenção.

De acordo com a exigência da aplicação, os freios eletromagnéticos a disco podem trabalhar tanto com discos maciços, como com discos autoventilados que possuem maior capacidade de dissipação de energia térmica.

Seu funcionamento consiste em frear por ação de molas e desfrear por força eletromagnética, garantindo sempre que em qualquer situação de emergência permaneça freado, tornando-se ideal para as aplicações em máquinas de transporte e movimentação de carga de risco.

Podem ser fornecidos com bobinas para alimentação em 50/10 Vcc ou 230/50 Vcc.

Sistemas de Frenagem Eletromagnéticos de Polia

Especialmente desenhados para atender as mais diferentes exigências de projeto, os Sistemas de frenagem Eletromagnéticos de Polia podem ser fornecidos de acordo com a Norma DIN ou de acordo com a norma AISE.

O diferencial de sua aplicação deve-se ao exclusivo sistema de troca rápida de refil, o que elimina desperdício de horas manutenção em ações de troca do elemento de fricção.

Seu funcionamento consiste em frear por ação de molas, e desfrear por força eletromagnética, garantindo sempre que em qualquer situação de emergência permaneça freado, tornando-se, ideal para as aplicações em máquinas de transporte e movimentação de carga de risco.

Notas

  1. A aceleração pode ser positiva ou negativa.

Referências

  1. «BREQUE - Definição e sinônimos de breque no dicionário português». educalingo.com. Consultado em 19 de agosto de 2019 
  2. «FRENAGEM - Definição e sinônimos de frenagem no dicionário português». educalingo.com. Consultado em 19 de agosto de 2019 

Ver tambémEditar