Abrir menu principal
Durante os tumultos palestinos de 1929, as famílias judias no Portão de Jaffa fugiram da Cidade Velha de Jerusalém.

Os distúrbios árabes de 1929 na Palestina, ou a Revolta de Buraq (em árabe: ثورة البراق, Thawrat al-Buraq), também conhecidos como Massacres de 1929, (hebraico: מאורעות תרפ"ט, Meora'ot Tarpat, lit. Anno Mundi) refere-se a uma série de manifestações e motins no final de agosto de 1929, quando uma longa disputa entre muçulmanos e judeus pelo acesso ao Muro das Lamentações em Jerusalém se transformou em violência.

Os tumultos assumiram a forma, na maioria dos casos, de ataques por árabes contra judeus acompanhados de destruição de propriedades judaicas. Durante a semana de tumultos de 23 a 29 de agosto, 133 judeus foram mortos e entre 198 e 241 outros ficaram feridos, a grande maioria deles desarmados e foram assassinados em suas casas pelos árabes, enquanto pelo menos 116 árabes foram mortos e pelo menos 232 ficaram feridos, principalmente pela polícia britânica, enquanto tentavam suprimir os tumultos, embora cerca de 20 tenham sido mortos por ataques judaicos ou tiroteios indiscriminados britânicos.[1] Durante os tumultos, 17 comunidades judaicas foram evacuadas.[2]

A Comissão Shaw, nomeada pelos britânicos, descobriu que a causa fundamental da violência "sem a qual, em nossa opinião, os distúrbios não teriam ocorrido ou não teriam sido pouco mais do que uma revolta local, é o sentimento árabe de animosidade e hostilidade em relação aos judeus sobre o desapontamento de suas aspirações políticas e nacionais e o temor por seu futuro econômico." Ele também atribuiu a causa como sendo o medo árabe dos imigrantes judeus "não apenas como uma ameaça à sua subsistência, mas como um possível suserano do futuro." O historiador israelense Avraham Sela descreveu os motins como "sem precedentes na história do conflito árabe-judaico na Palestina, em duração, alcance geográfico e danos diretos à vida e à propriedade".[3]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Ross, Stewart (2004). Causes and Consequences of the Arab-Israeli Conflict. [S.l.]: Evans Brothers. 22 páginas. ISBN 0237525852 
  2. «אירועים ביטחוניים בתולדות משמר העמק [Security events in the history of Mishmar HaEmek]». Mishmar HaEmek website (em Hebrew). Consultado em 9 de julho de 2016 
  3. Sela, Avraham (1994). «THE "WAILING WALL" RIOTS (1929) AS A WATERSHED IN THE PALESTINE CONFLICT». The Muslim World. 84 (1-2): 60–94. doi:10.1111/j.1478-1913.1994.tb03589.x 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre Israel é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  Este artigo sobre o Estado da Palestina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.