Abrir menu principal
Logomarca da Udemy

A Udemy é uma plataforma EAD[1], criada por Eren Bali, de e-learning para profissionais[2] poderem tanto estudar como ensinar. O conteúdo dos cursos é bem variado com cursos de auto-ajuda, teoria musical e cuidar de animais domésticos à programação (da básica à avançada), análise de dados, design, vendas e outros mais com intuito profissionalizante, alguns gratuitos e outros pagos, com certificados ou não. A plataforma, no primeiro semestre de 2019, possuía mais de trinta milhões de alunos, cerca de cem mil cursos publicados e quarenta e dois mil instrutores em mais de cinquenta idiomas. [3]

Os cursos da Udemy, em sua maioria, oferecem certificados de conclusão. As maneiras e ferramentas de ministrar aulas dependem exclusivamente do professor, por exemplo, pode-se publicar cursos com slides, vídeos, questionários, exercícios e até aulas ao vivo. A plataforma também conta com um sistema de chat e comunidade para que os alunos possam interagir entre si e/ou com instrutores, seja para debater temas variados ou tirar dúvidas.

A Udemy é multi plataforma, tendo sua versão para celulares IOS[4], AppleTV[5], celulares Android[6] e navegadores.

Índice

HistóriaEditar

Em 2007 o Fundador da Udemy, Eren Bali, enquanto morava na Turquia, criou um software de sala de aula online. Ele viu o potencial em tornar esse produto grátis e acessível para todos, então se mudou para o Vale do Silício para fundar uma empresa anos depois. O site foi lançado por Bali, Oktay Caglar e Gagan Biyani em 2010.

Em Fevereiro de 2010, os fundadores tentaram aumentar o financiamento de capital de risco mas os investidores não viram potencial e rejeitaram mais de 30 vezes.[7]

Até 2012, a empresa arrecadou mais de 12 milhões de dólares.[8]

Em abril de 2014, Dennis Yang se tornou o mais novo CEO, no lugar de Eren Bali.[9]

Em fevereiro de 2019, a Udemy anunciou que Gregg Coccari ocupou o cargo de diretor executivo da empresa.[10]

MOOCEditar

A sigla MOOC significa Massive Open Online Course, que se define por um modelo de curso feito a partir de ferramentas web para ajudar grandes números de pessoas a adquirirem inúmeros conhecimentos. Os cursos em modelo MOOC possuem de assuntos específicos que o consumidor esteja procurando ao mais variados tipos de conhecimento. Feita a partir da conexão online, os cursos podem ser acessados de qualquer lugar do planeta e a qualquer horário, conhecido como "educação a distância". A diferença desse modelo de ensino para os tradicionais é a escalabilidade, que significa a capacidade do aluno de não depender do número de estudantes mínimo e máximo inscritos para o curso começar.

A Udemy utiliza desse modelo como sua base e vem conquistando o mercado pela praticidade que a plataforma apresenta.[11]

Preocupações com piratariaEditar

Em novembro de 2015, a Udemy foi acusada de estar publicando cursos pirateados e lucrando em cima deles[12][13][14]. O CEO, Dennis Yang, respondeu a essas acusações em um post de seu blog, analisando uma das acusações e declarando que a Udemy não lucrou com essa ocorrência de pirataria na plataforma[15].

Problemas relatadosEditar

A Udemy tem vários casos, principalmente no começo de sua vida, de pessoas que não tinham nenhuma, ou quase nenhuma, experiência com ensinar via internet enriquecendo com apenas um curso. Visto que a Udemy tem uma filosofia de liberdade ao usuário, onde qualquer pessoa pode postar qualquer curso sobre qualquer tipo de tema, algo parecido com o Youtube, onde qualquer um pode entrar no site e postar quase todo tipo de conteúdo, e em ambos sites não se tem um controle rígido de qualidade, apenas avaliações de usuários, a plataforma acabou atraindo muitas pessoas com o objetivo exclusivo de obter lucros exorbitantes, tirando assim bastante credibilidade de todos os seus cursos. É comum até mesmo cursos na Udemy que ensinam a como se destacar no site driblando seu algorismo, uma infinidade de cursos chamativos e de conteúdo pobre.[16]

Referências

  1. «Educação a distância». Wikipédia, a enciclopédia livre. 30 de junho de 2019 
  2. «Udemy Thinks It's Cracked the Future of Online Education». Time. 12 de fevereiro de 2016. Consultado em 20 de maio de 2019 
  3. https://about.udemy.com
  4. Heussner, Ki Mae (2 de abril de 2013). «Exclusive: Udemy lands on mobile so students can learn on the go». gigaom.com (em inglês). Consultado em 13 de julho de 2019 
  5. «Introducing Udemy for Apple TV». Udemy About (em inglês). Consultado em 13 de julho de 2019 
  6. Hockenson, Lauren (15 de janeiro de 2014). «Udemy brings its education marketplace to Android». gigaom.com (em inglês). Consultado em 13 de julho de 2019 
  7. «How Udemy got oversubscribed». Venture Hacks. 10 de setembro de 2010. Consultado em 13 de julho de 2019 
  8. «Udemy». Online Learning Marketplace Udemy Lands $12M. 9 de julho de 2019 
  9. Kolodny, Lora (22 de abril de 2014). «Udemy Appoints Dennis Yang CEO; Eren Bali Steps Aside to Lead Product». WSJ (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2019 
  10. «We're Excited to Welcome Gregg Coccari as Our New CEO!». Udemy About (em inglês). 5 de fevereiro de 2019. Consultado em 9 de julho de 2019 
  11. Lewin, Tamar (4 de março de 2012). «MOOCs, Large Courses Open to All, Topple Campus Walls». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  12. Conery, Rob (5 de dezembro de 2015). «How Udemy Is Profiting From Piracy - Rob Conery». Medium (em inglês). Consultado em 10 de julho de 2019 
  13. Lee, Dave (30 de novembro de 2015). «Anger at 'stolen' online courses» (em inglês) 
  14. Toor, Amar (29 de novembro de 2015). «Udemy faces criticism for profiting from pirated online courses». The Verge. Consultado em 10 de julho de 2019 
  15. «Maintaining the integrity of our Udemy community». web.archive.org. 29 de novembro de 2015. Consultado em 10 de julho de 2019 
  16. Groden, Claire. «The Online Education Gold Rush Is Drying Up as Amazon Approaches». Inverse (em inglês). Consultado em 12 de julho de 2019 
  Este artigo sobre Internet é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.