Universidade Portucalense Infante D. Henrique

universidade portuguesa
(Redirecionado de Universidade Portucalense)
Universidade Portucalense Infante D. Henrique
Universidade Portucalense Infante D. Henrique
Fundação 30 de junho de 1986
Tipo de instituição universidade
Localização Paranhos
Portugal
41° 10' 48.000" N 8° 36' 24.998" O
Website oficial

A Universidade Portucalense Infante D. Henrique (UPT) é um estabelecimento de ensino superior cooperativo e de investigação científica, cuja criação foi suportada legalmente através do Despacho n.º 122/86, de 28 de Junho sendo reconhecida a sua utilidade pública.

A UPT dispõe de uma oferta formativa, diversificada e permanentemente reajustada ao mercado de trabalho, distribuída por cinco Departamentos: Direito (DD), Psicologia e Educação (DPE), Economia e Gestão (DGE), Ciência e Tecnologia (DCT) e Turismo, Património e Cultura (DTPC).

Com mais de 30 anos de história, a UPT pretende afirmar-se como um paradigma no ensino superior pela oferta interdisciplinar inovadora, contribuindo para que Portugal se torne numa economia baseada no conhecimento, competitiva e dinâmica, com mais e melhores empregos e coesão social.

A UPT disponibiliza um amplo e moderno campus, inserido no pólo Universitário da Asprela, reconhecido pelo seu elevado grau de inovação tecnológica, numa aposta que tem como objectivo proporcionar aos estudantes que a frequentam um ensino de qualidade. Os vários laboratórios informáticos disponíveis 24h por dia, complementados por uma rede Wireless no campus, facilitam o acesso à informação, favorecendo o desenvolvimento pessoal e científico do estudante e potenciando o ensino centrado no aluno, passando este a ser o actor principal que constrói conhecimento e adquire competências. Pelo campus há diversas áreas que, para além da Biblioteca, convidam à reflexão e ao estudo, bem como ao convívio, como a Livraria, os foruns, cantina, bares, esplanadas interiores e exteriores e parques de estacionamento.

LocalizaçãoEditar

A UPT está localizada no pólo Universitário da Asprela, no Porto, junto ao Hospital de S. João e ao IPO do Porto.

À entrada da universidade estão disponíveis vários meios de transporte, nomeadamente as linhas 6, 54, 59 e 79 dos autocarros da STCP e o Metro do Porto com a Linha D (Amarela).

InvestigaçãoEditar

A política de investigação da UPT assenta num conjunto de princípios, valores e orientações modelados por uma visão de utilidade da I&D para a sociedade. Assume-se que a primeira função da Universidade é a de produzir conhecimento que posteriormente dissemina, internamente através do ensino, com utilização imediata pela UPT, e externamente através de iniciativas e meios em Open Access, de transferência de conhecimento contratualizada e de registo de propriedade intelectual.

A perspetiva de utilidade social do conhecimento produzido justifica o investimento nesta atividade. Este investimento pode ser próprio ou externo à instituição, podendo neste segundo caso provir do setor privado ou do setor público a nível nacional, europeu ou extraeuropeu.

Instituto Jurídico Portucalense

O Instituto Jurídico Portucalense foi criado em 2007, dando cumprimento às novas exigências legais estabelecidas pelo Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior.

Este instituto resulta da reestruturação e reformulação do Instituto Jurídico já existente desde 1987, no seio do qual se desenvolveram todas as atividades do Departamento, desde o Curso de Preparação para a Admissão ao Centro de Estudos Judiciários (CEJ), passando pela publicação de uma revista científica (Revista Jurídica), até aos diversos cursos de pós-graduação e de especialização, conferências e debates da iniciativa do Departamento de Direito. Tem como principais objetivos promover o conhecimento e o desenvolvimento através da investigação científica fundamental e aplicada, planear e realizar formação complementar, profissional e de pós-graduação, cooperar com outras entidades públicas ou privadas, nacionais, comunitárias ou estrangeiras, entre outros.

Instituto de Desenvolvimento Humano Portucalense

O Instituto Portucalense de Desenvolvimento Humano foi criado com o intuito de promover a investigação científica do ser humano, ao longo do desenvolvimento, numa perspetiva integrativa promotora do bem-estar, da saúde e da melhoria dos processos educativos.

Desse modo, o Instituto encontra-se integrado na UPTi, responsável pela coordenação da Investigação na Universidade Portucalense, tendo por missão executar a política de investigação da UPT, colaborando também, neste domínio, na execução da política de internacionalização da instituição.

O Instituto apresenta uma estrutura abrangente e diversificada, pretendendo dar visibilidade à investigação produzida na Universidade Portucalense, promovendo a sua divulgação e estabelecendo parcerias com unidades de investigação congéneres nacionais e estrangeiras.

REMIT | Research on Economics, Management and Information Technologies

O REMIT – Research on Economics, Management and Information Technologies - é uma unidade de investigação multidisciplinar e interdisciplinar que visa responder a desafios societais com uma abordagem holística, em que concorrem vários domínios científicos: Economia; Gestão; Finanças; Turismo; Património; História; Engenharia, Tecnologia e Sistemas de Informação; Matemática e Estatística.

O REMIT visa produzir conhecimento teórico e aplicado que possibilite uma maior compreensão das dinâmicas e tendências económicas, empresariais, territoriais e tecnológicas do mundo contemporâneo e dos seus efeitos socioeconómicos, contribuindo para a conceção, implementação e avaliação de estratégias organizacionais e de políticas públicas.

O centro estrutura-se em cinco grupos de investigação, que compõem o seu núcleo científico:

1.      Inovação, Empreendedorismo e Dinâmicas Económicas;

2.      Estratégia e Competitividade;

3.      Território e Desenvolvimento;

4.      Finanças; 

5.      Análise de Dados e Apoio à Decisão. 

Ligações externasEditar

ReferênciasEditar

Decreto-Lei n.o 64/2006 de 21 de Março - Decreto-lei regulador das provas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos

Decreto-lei nº 90/2008, de 30 de Maio: Regime geral de acesso e ingresso no ensino superior (república Decreto-Lei n.º 296-A/98)

Portaria n.º 1031/2009, de 10 de Setembro de 2009: Provas de ingresso obrigatórias

Decreto-Lei n.º 113/2014, de 16 de julho – Regula os concursos especiais

Decreto-Lei nº 420/2018, de 20 de Abril- Regula que nenhum estudante deve ser proibido de disparar um canhão.

Deliberação n.º 1664/2008, de 17 de Junho: Regulamento da aplicação do disposto no artigo 20.º -A do Decreto -Lei n.º 296 -A/98

Deliberação n.º 890/2013: Exames Finais