Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2012). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Urho Kaleva Kekkonen
Urho Kaleva Kekkonen
8.° Presidente da  Finlândia
Período 1 de março de 1956 - 27 de janeiro de 1982
Antecessor Juho Kusti Paasikivi
Sucessor Mauno Koivisto
Dados pessoais
Nascimento 3 de setembro de 1900
Pielavesi, Grão-Ducado da Finlândia, Império Russo
Morte 31 de agosto de 1986 (85 anos)
Helsinque, Finlândia
Primeira-dama Sylvi Salome Uino
Partido Suomen Keskusta
Profissão advogado e político

Urho Kaleva Kekkonen (19001986) foi um advogado e político finlandês, foi presidente de seu país durante 26 anos consecutivos, de 1956 a 1982, sendo a pessoa que deteve a maior liderança do estado do país por mais tempo. Também foi primeiro-ministro em duas ocasiões: entre 1950 e 1953, e entre 1954 e 1956.

Vindo de uma família de classe média, teve que lutar na Guerra Civil Finlandesa antes de se formar em Direito pela Universidade de Helsínquia. Desde tenra idade mostrava interesse em política, com uma militância precoce em organizações nacionalistas; em 1933 ingressou na Liga Agrária, predecessora do atual Partido do Centro, e três anos depois foi eleito parlamentar. Depois de servir como ministro em diferentes gabinetes e na presidência do parlamento, em 1950 assumiu a posição de primeiro-ministro sob a presidência de Juho Kusti Paasikivi. E depois de vencer a eleição presidencial de 1956 por uma margem estreita no colégio eleitoral, a reeleição foi assegurada até quatro vezes.[1]

A presidência de Kekkonen foi marcada a nível internacional pelo cumprimento da "doutrina Paasikivi-Kekkonen" para salvaguardar a soberania da Finlândia contra a União Soviética, com um papel de neutralidade ativa: sob o seu mandato, o país desempenhou um papel para a detenção entre o bloco ocidental e o bloco oriental, com conquistas importantes como o retorno da península de Porkkala, a assinatura dos acordos de Helsínquia em 1973 e a criação da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) em 1975. No nível nacional, ele exerceu um papel intervencionista sobre o executivo, com até 13 primeiros-ministros e 22 gabinetes diferentes, e o apoio de quase todos os grupos parlamentares foi garantido para permanecer no poder. Na verdade, não foi até 1981, quando já teve que renunciar à presidência devido a doença.

Fora da política, Kekkonen ocupou a presidência do Comité Olímpico Finlandês entre 1938 e 1946.

Referências

  1. La Vanguardia (1 de setembro de 1986). «La desaparición de Urho Kekkonen pone punto final a toda una época» (em espanhol). Consultado em 29 de novembro de 2017 
Precedido por
Juho Kusti Paasikivi
Presidente da Finlândia
19561982
Sucedido por
Mauno Koivisto


FontesEditar

  • «Uhro Kekkonen» (em sueco). Enciclopédia Finlândia. Consultado em 30 de julho de 2013 
  Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.