Abrir menu principal

Velame (botânica)

Nota: Se procura pela parte de sustentação de um pára-quedas, consulte Velame (pára-quedismo); se procura pelo conjunto de velas do iatismo, consulte Velame (iatismo).

Velame (do latim velamen que significa "vestimenta" ou "túnica"[1]), em botânica, é uma Epiderme multisseriada que ocorre em raízes áereas de orquídeas e aráceas e que consiste de várias camadas de consistências de pergaminho, de células mortas com paredes espessadas, os espessamentos podem ser densamente espiralados, reticulados ou pontuados.[2]

Em períodos de seca as células do velama enchem-se de ar, ficando com um brilho prateado, quando há chuvas, se tornam cheias de água.[2]

O velame é encontrado em plantas parasitas, raízes aéreas de algumas orquídeas, todas as epífitas e halófitas.[3]

Referências

  1. Andreas Bresinsky; Christian Körner; Joachim W. Kadereit; Gunther Neuhaus, Uwe Sonnewald. Tratado de Botânica de Strasburger. [S.l.]: Artmed Editora. p. 210. ISBN 978-85-363-2720-4 
  2. a b Mário Guimarães Ferri (1983). Botânica: morfologia interna das plantas: anatomia. [S.l.]: NBL Editora. p. 73. ISBN 978-85-213-0099-1 
  3. Objective Botany. [S.l.]: Krishna Prakashan Media. p. 242