Vidi aquam

Vidi aquam é uma Antífona cantada no início das Missas dos domingos do Tempo Pascal, durante a aspersão da água benta, em lugar do Asperges me cantado fora do Tempo Pascal.[1][2][3][4][5][6][7]

Composições musicaisEditar

Na Idade Média o Vidi aquam era cantado em canto gregoriano, mas a partir do século XVI passou a ser musicado também em polifonia, por autores como Cristóbal de Morales, Tomás Luis de Victoria, Oreste Ravanello e outros. No Brasil existem composições para essa cerimônia por autores desconhecidos, a partir de fins do século XVIII, especialmente no Museu da Música de Mariana.[8]

Como foi usual no rito tridentino, a frase inicial Vidi aquam era entoada pelo celebrante em cantochão e, por isso, várias composições polifônicas para esse texto iniciam-se na frase seguinte, Egredientem de templo.

Texto latinoEditar

Vidi aquam (Ezequiel 47, 9 e Salmo 117, 1)[9]
Vidi aquam egredientem de templo a latere dextro, alleluia;

et omnes, ad quos pervenit aqua ista salvi facti sunt, et dicent, alleluia.

Confitemini Domino quoniam bonus:

quoniam in sæculum misericordia ejus.

Gloria Patri, et Filio, et Spiritui Sancto

Sicut erat in principio, et nunc, et semper,

et in sæcula sæculorum. Amen.

Eu vi a água brotar do lado direito do templo, aleluia;

e todos aqueles que alcançarem esta água serão salvos e dirão, aleluia.

Dai graças ao Senhor porque ele é bom

porque eterna é a sua misericórdia.

Gloria ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo

Assim como era no princípio, agora e sempre

por todos os séculos dos séculos. Amém.

Composições internacionais para o Vidi aquamEditar

Composições no Brasil para o Vidi aquamEditar

Ver também (Wikipédia)Editar

Referências

  1. COELHO, Antônio. Curso de liturgia romana. 3. ed. Negrelos: Edições “Ora et Labora” / Mosteiro de Singeverga, 1950. 2 v.
  2. BREVIARIUM Romanum ex Decreto Sacrosancti Concilii Tridentini Restitutum Summorum Pontificium Cura Recognitum cum nova psalteri versione Pii Papæ XII jussu edita juxta editionem novam typicam. Romæ, Tornaci, Parisiis: Typis Societatis S. Joannis Evangelistæ Desclée & Cie, [1954]. 4 v.
  3. LIBER Usualis Missæ pro Dominicis et Festis Duplicibus cum cantu gregoriano ad exemplar editionis typicæ concinnatus et Rhythymicis signis a solesmensibus monachis: diligenter ornatus. Editio Altera. Romæ, Tornæi:Typis Societatis S. Joannis Evang. / Desclée & Socii, 1910. 992, [60] p.
  4. OFFICIUM Hebdomadæ Sanctæ secundum Missale et Breviarium Romanum Pii V. Pont. Max. jussu editum Clementis VIII. et Urbani VIII. auctoritate recognitum. Editio secunda cantu chorali aucta per F. J. Vilsecker, Cantorem Ecclesiæ Cathedrali Passaviensis. auctoritate Reverendissimi Domini Domini Henrici, Episcopi Passaviensis. Landishuti: J. G. Wölfle / Libraria Universitatis Krüliana, 1856 [1ª ed.: Passaviæ: Librariæ Pustetianæ, 1842]. 482 p.
  5. OFFICIUM Majoris Hebdomadæ a Dominica in Palmis usque ad Sabbatum in Albis juxta ordinem Breviarii, Missalis et Pontificalis Romani cum cantu emendato editum sub auspiciis Sanctissimi Domini Nostri Pii PP. IX. Curante Sacr. Rituum Congregatione. Cum Privilegio. Editio altera, Ratisbonæ, Neo Eboiraci et Cincinatti: Friderici Pustet, 1882. 540, 8* p.
  6. SARMENTO, Francisco de Jesus Maria. MANUAL / DA / SEMANA SANTA / PARA OS OFFICIOS ECCLESIASTICOS, / que se celebrão nas Horas Matutinas / dos veneraveis Dias / DE / DOMINGO DE RAMOS, / QUINTA FEIRA SANTA, / E SESTA FEIRA DA PAIXÃO. / Traduzidos no idioma Portuguez / Para espiritual consolação, e proveitosa / intelligencia dos que ignorão a Lingua / Latina. / Ajuntão se algumas Orações para antes, e / depois dos Santos Sacramentos da Peni-/tencia, e Eucaristia, e para visitar de-/votamente as Igrejas: E varias Illustrações Históricas, e Reflexões Moraes sobre / os Mysterios, que se recordão em toda esta / Semana até Domingo de Pascoa. / Por Fr. FRANCISCO / DE JESUS MARIA SARMENTO, / Comissionario da Veneravel Ordem Terceira / do Convento de Nossa Senhora de Jesus / de Lisboa. / LISBOA / NA REGIA OFFICINA TYPOGRAFICA / ANNO MDCCLXXV. / Com Licença da Real Meza Censoria. 261p.
  7. CASTAGNA, Paulo. O estilo antigo na prática musical religiosa paulista e mineira dos séculos XVIII e XIX. São Paulo, 2000. Tese (Doutoramento) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. 3v.
  8. ANÔNIMO. Vidi aquam (quatro vozes, violinos I e II, baixo); edição Vitor Gabriel [de Araújo]. In: CASTAGNA, Paulo (coord.). Pentecostes; coordenação musicológica Paulo Castagna; coordenação editorial Carlos Alberto Figueiredo; pesquisa, edição e texto Marcelo Campos Hazan, Vítor Gabriel de Araújo, André Guerra Cotta, Paulo Castagna. Belo Horizonte: Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana, 2002. n.2, p.115-125. (Acervo da Música Brasileira / Restauração e Difusão de Partituras, v.1)
  9. MISSAL quotidiano e vesperal; por Dom Gaspar Lefebvre beneditino da Abadia de S. André; notação moderna da música por P. Ch. van de Walle; ilustrações de R. de Cramer. Bruges (Bélgica), Desclée de Brouwer & Cie., 1960.