Vozes do Meio-Fio

Análise antropológica levada a cabo por Cláudia Milito e Hélio R.S. Silva, durante um ano, junto de meninos de rua, no Rio de Janeiro.[1]

Vozes do Meio-Fio
Meninos de rua, na Lagoa
Autor(es) Hélio Santos Silva, Cláudia Milito
Idioma português
País Brasil
Gênero Etnografia
Editora Relume Dumará
Lançamento 1995
Páginas 192 (original)
ISBN 857-316-0160

SinopseEditar

Vozes do Meio-Fio é uma etnografia focalizada nas crianças de rua.

A obra descreve pequenas histórias do dia-a-dia absorvidas pela pesquisa, de pequenos acontecimentos que passam a temas, questões e problemas distintos. O relato dos acontecimentos é feito sob a forma de fragmentos da cidade, dos meninos de rua nos seus espaços e dos adultos a ignorarem as suas responsabilidades. O livro estrutura-se na criação de temas, como a prostituição, violência, alimentação, consumo de drogas, que estão associados aos meninos de rua.[2]

Os AutoresEditar

Os autores esclarecem na obra que a função no espaço dos meninos de rua é observar. E que a movimentação dos mesmos nesse espaço é regulada pela sua curiosidade, interesse e incertezas.

Referências

Ligações externasEditar

Ver também: Criança de rua

  Este artigo sobre literatura é um esboço relacionado ao Projeto Literatura. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.