Zitterbewegung

Zitterbewegung, "movimento trêmulo" (em alemão), como foi originalmente descrito por Schrödinger, é um efeito não-físico, não observável[1]. Não obstante, por um longo tempo, tem sido debatido se Zitterbewegung é um efeito real ou algo artificial que cai fora da equação que descreve a situação, a equação de Dirac[2]. A existência desse movimento foi proposta pela primeira vez por Erwin Schrödinger em 1930 como resultado de sua análise das soluções de pacotes de ondas[3][4][5] da equação de Dirac para elétrons relativísticos no espaço livre, em que uma interferência entre estados de energia positivos e negativos produz o que parece ser uma flutuação (na velocidade da luz) da posição de um elétron ao redor da mediana, com uma freqüência de 2mc2h, ou aproximadamente 1.6×1021 radianos por segundo. O zitterbewegung de uma partícula relativista livre nunca foi observada. Para o átomo de hidrogénio, o zitterbewegung produz o termo Darwin[6], que desempenha o papel na estrutura fina como uma pequena correção do nível de energia dos orbitais [7].

Referências

  1. Quivering ions pass quantum test por Zeeya Merali | Nature | doi:10.1038/news.2010.2| (2011)
  2. Observable Zitterbewegung in curved spacetimes por Archil Kobakhidze (2016)
  3. Joy Manners (2000), Quantum Physics: An Introduction, ISBN 978-0-7503-0720-8, CRC Press, pp. 53–56 
  4. Pauli, Wolfgang (2000), Wave Mechanics: Volume 5 of Pauli Lectures on Physics, ISBN 0486414620, Books on Physics, Dover Publications 
  5. Abers, E.; Pearson, Ed (2004), Quantum Mechanics, ISBN 978-0-13-146100-0, Addison Wesley, Prentice-Hall Inc. 
  6. A estrutura fina do Hidrogênio e o termo de Darwin por R. L. Viana (2017)
  7. Introduction to Relativistic Quantum Mechanics - Capítulo 4 por Curt Wittig, pp 308 - 322
  Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.