¡Qué bueno, qué bueno!

"¡Qué bueno, qué bueno!" ("Que bom! Que bom!"/"Que legal! Que legal!") foi a canção que representou a Espanha no Festival Eurovisão da Canção 1965 que teve lugar em Nápoles em 20 de março desse ano.

¡Qué bueno, qué bueno!
País
Artista(s)
Língua
Castelhano
Compositor(es)
Antonio Figueroa Egea
Letrista(s)
Antonio Figueroa Egea
Resultado da semifinal
------
Pontos da semifinal
------
Resultado da final
15.º
Pontos da final
0
Cronologia de aparecimentos
◄ "Caracola" (1964)   
"Yo soy aquél" (1966) ►

A referida canção foi interpretada em castelhano por Conchita Bautista. Foi a segunda vez que Conchita representou a Espanha no Festival Eurovisão da Canção, após ter tido interpretado a primeira canção espanhola no Festival Eurovisão da Canção. Foi a terceira canção a ser interpretada na noite do festival, a seguir à canção britânica "I Belong", interpretado por Kathy Kirby e antes da canção irlandesa "Walking the Streets in the Rain", cantada por Butch Moore. Terminou a competição em 15.º lugar, juntamente com outros 3 países (Alemanha, Bélgica e Finlândia), não tendo qualquer voto: 0 votos. No ano seguinte, em 1966, a Espanha fez-se representar com o tema Yo soy aquél" interpretado por Raphael.

Autores editar

Autores
Letrista: Antonio Figueroa Egea
Compositor: Antonio Figueroa Egea
Orquestrador: Adolfo Ventas Rodríguez

Letra editar

A canção é uma canção estilo flamenco, na qual Bautista descreve "Que bom" é agora saber que o seu amante também a ama e os beijos dele são para ela e apenas para ela.

Versões editar

Versões
"Che bueno, che bueno" (em italiano)
versão alternativa (em castelhano)
parte de um novo medley (1992) (em castelhano)

Fontes e ligações externas editar

  Este artigo sobre uma canção é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.