Abrir menu principal

Álvaro Fernando Prazeres Arranja é um professor e historiador português.

Índice

BiografiaEditar

Como historiador, Álvaro Arranja (Lisboa, 1960) tem orientado a sua investigação para os temas relacionados com a história contemporânea, nomeadamente da Primeira República Portuguesa, do movimento operário e de Setúbal. É autor de diversos livros, artigos e conferências sobre história contemporânea. É Vice-Presidente do Centro de Estudos Bocageanos.

Atividade sindical e políticaEditar

Álvaro Arranja assinou o manifesto de fundação do Bloco de Esquerda em 1999. Foi deputado à Assembleia Municipal de Setúbal pelo Bloco de Esquerda[1] e candidato por esta força política às eleições legislativas de 1999 e 2015[2] Foi igualmente membro da direção do Sindicato dos Professores da Grande Lisboa. Entre 1982 e 1984 foi membro da direção da Associação de Estudantes da Faculdade de Direito de Lisboa. Entre 1982 e 1986 foi membro do Conselho Nacional da UEDS (União da Esquerda para a Democracia Socialista).

Alguns livros e artigos publicados por Álvaro Arranja[3]Editar

Livros de Álvaro ArranjaEditar

Textos de Álvaro Arranja em livros colectivos:

“O 5 de Outubro em Setúbal – Republicanismo e Movimento Operário”, in Encontro de Estudos Locais do Distrito de Setúbal, Setúbal, ESE, 1988

“O Movimento Sindical dos Pescadores em Setúbal”, in Encontro com o Sado, Setúbal, ESE, 1999

“A I República e o Movimento Operário em Setúbal”, in Setúbal – Roteiros Republicanos, Lisboa, QuidNovi, 2010

ArtigosEditar

  • «A implantação da República em Setúbal», in História, n.º 73, Lisboa, novembro de 1984, pp.62-67.
  • “Experiências Autogestionárias na Espanha Republicana Durante a Guerra Civil”, in História, nº 82, Agosto de 1985, pp. 16-21.
  • «As revoltas da fome em Setúbal», in História n.º 86, Lisboa, dezembro de 1985, pp. 16-19.
  • “A Primeira Greve Geral em Portugal”, in História, nº 107, Abril de 1988, pp. 16-21, pp. 14-17.
  • «Os socialistas portugueses e a I Guerra Mundial, n.º 112, setembro de 1988, pp. 76-81.
  • «A guerra de Espanha na imprensa de Setúbal», in História, ano XII, n.º 128, Lisboa, maio 1990, pp. 84-88.
  • «A suspensão do jornal "O Setubalense" em 1927 : primórdios da censura na ditadura». in História, ano XIII, n.º 141, Lisboa, junho de 1991, pp. 65-69.
  • “O Partido Socialista Português na I República”, in História, nº 149, fevereiro de 1992, pp.58-67.
  • “O Centenário de Bocage em 1905”, in História, nº 156, setembro de 1992, pp. 26-39.
  • «A indústria das conservas de peixe em Setúbal : 1930-1960» in Sítios e Memórias, ano 1, n.º 4, Lisboa, novembro de 1997, pp. 70-78.
  • «Memórias vivas : entrevista com 2 ex-operários conserveiros de Setúbal» in Sítios e Memórias, ano 1, n.º 4, Lisboa, novembro de 1997, pp. 79-81.
  • “Greves em Setúbal 1910-1911/Anarco-Sindicalismo e Republicanismo”, in História, nº 11(nova série), fevereiro de 1999, pp. 40-47.
  • “Um Governo de Esquerda na I República – José Domingues dos Santos”, in História, nº 29(nova série), outubro de 2000, pp. 10-13.
  • “Germinal – Um Jornal Anarco-Sindicalista de Setúbal”, in História, nº 78, Julho/Agosto de 2005, pp. 46-48.
  • “A Revolta dos Marinheiros”, in História, nº 91, Novembro de 2006, pp. 51-53.
  • “Setúbal e a Greve Geral de 1911”, in O Setubalense, 01.16.2007
  • “Bocage e José Afonso”, in O Setubalense, 25.07.2007
  • “ A Inquisição e o Messias de Setúbal”, in O Setubalense, 21.12.2007
  • “ Moradores de Setúbal na Revolução de 25 de Abril”, in O Setubalense, 02.05.2008
  • “ Jaime Rebelo – O Homem da Boca Fechada”, in O Setubalense, 24.09.2008
  • “ O Congresso Republicano de 1909 em Setúbal”, in O Setubalense, 28.01.2009
  • “ A Censura contra O Setubalense em 1927”, in O Setubalense, 27.05.2009
  • “ Francisco Ferrer” in O Setubalense, 25.11.2009
  • “ A República vista por «O Trabalho»”, in O Setubalense, 28.07.2010
  • “ Os Republicanos e o Centenário de Bocage” in O Setubalense, 29.09.2010
  • “ Setúbal no Atlas de Pedro Teixeira em 1634”, in O Setubalense, 28.12.2008
  • “ Setúbal na Revolução de 25 de Abril”, in O Setubalense, 30.04.2012
  • Artigos no site Esquerda.net - https://www.esquerda.net/autor/%C3%A1lvaro-arranja

Conferências, colóquios e visitas guiadas por Álvaro ArranjaEditar

  • “Humberto Delgado e as Eleições de 1958 em Setúbal”, na Biblioteca Municipal de Setúbal, 17 de Dezembro de 1998.
  • “A Mulher e o Movimento Operário em Setúbal – A Greve de 1911 das Operárias Conserveiras”, a convite do Museu de Arqueologia e Etnografia de Setúbal, 30 de Abril de 1999.
  • “Pensar Setúbal – Aspectos sócio-demográficos do concelho”, a convite da Universidade Popular de Setúbal, 24 de Março de 2000.
  • “Bocage visto por Republicanos e Anarquistas”, a convite do Centro de Estudos Bocageanos, 17 de Maio de 2002.
  • “O Movimento Operário em Setúbal – da Monarquia à I República”, Jornadas de História Local de Setúbal, 10 de Março de 2007.
  • “Alfredo da Silva, a CUF e as lutas operárias”, na Biblioteca Municipal do Barreiro, 6 de Julho de 2007.
  • “Anarco-Sindicalistas e Republicanos – o Movimento Operário em Setúbal na I República”, a convite do Museu de Arqueologia e Etnografia de Setúbal, 15 de Março de 2008.
  • “Setúbal e a Guerra Civil de Espanha”, a convite da Cooperativa Cultural Prima Folia, 3 de Julho de 2008.
  • “Cuba – da Independência à Ditadura de Batista”, na Biblioteca Municipal de Setúbal, no colóquio sobre Che Guevara do Centro de Estudos Bocageanos, 7 de Novembro de 2008.
  • “As Greves Gerais em Portugal”, no Congresso Internacional Karl Marx da Universidade Nova de Lisboa, 16 de Novembro de 2008.
  • “José Afonso na cidade do Sado”, no colóquio organizado pela Associação José Afonso, realizado em Setúbal, a 3 de Abril de 2009.
  • “Os Centenários de Camões e Bocage e a Propaganda Republicana”, Biblioteca Municipal de Setúbal, 17 de Setembro de 2009.
  • “A República e o Movimento Operário em Setúbal”, a convite da Câmara Municipal da Moita, Moita, 2 de Outubro de 2010.
  • “ O Quotidiano Operário em Setúbal na I República”, a convite da Câmara Municipal da Moita, Moita, 9 de Outubro de 2010.
  • “A I República no concelho do Seixal”, a convite da Câmara Municipal do Seixal, Amora, 29 de Janeiro de 2011.
  • “Dos Fuzilamentos de Setúbal à Ruptura Operariado-República em 1911”, no Museu da República e Resistência de Lisboa, 8 de Maio de 2011.
  • Visita guiada “A 1ª República e o Movimento Operário em Setúbal”, organizada pelo Centro de Estudos Bocageanos, 13 de Outubro de 2012.
  • “Portugal em 1912”, na Escola Secundária Ferreira Dias, em Sintra, organizada pelo Clube da História e Património, 30 de Novembro de 2012.
  • “O Centenário de Bocage em 1905 – Republicanismo e Sindicalismo”, na Casa da Cultura de Setúbal, 2 de Fevereiro de 2013.
  • “Bocage, o Iluminismo e a Revolução Francesa”, na Casa da Cultura de Setúbal, 15 de Outubro de 2013.
  • Visita guiada, “Setúbal em Armas - A Batalha do Viso e a Revolta da Patuleia em Setúbal”, organizada pelo Centro de Estudos Bocageanos e Casa da Cultura de Setúbal, 31 de Maio de 2014.
  • “A Revolução Francesa na Pintura e na Ilustração”, na Casa da Cultura de Setúbal, em 20 de Setembro de 2014.
  • “Humberto Delgado – o General Sem Medo”, Casa da Cultura de Setúbal, em 25 de Abril de 2015.
  • Visita guiada o “O Último Dia do General Sem Medo”, a Badajoz, Olivença e Villanueva del Fresno, no âmbito das atividades que assinalaram o cinquentenário do assassinato de Humberto Delgado, organizadas pelo Centro de Estudos Bocageanos e Casa da Cultura de Setúbal, em 14 de Junho de 2015.
  • “Bocage Visto por Republicanos e Anarquistas”, na Biblioteca Nacional, em 22 de Setembro de 2015.
  • “Bocage…um afrancesado”, na Casa Bocage e a convite da Associação Agostinho da Silva, em 28 de Novembro de 2015.
  • “Bocage e Goya em tempo de revolução”, a convite da Câmara Municipal de Setúbal, na Galeria Municipal, em 16 de Janeiro de 2016.
  • “Aristides de Sousa Mendes – O Cônsul que Desobedeceu a Salazar”, na Casa da Cultura de Setúbal, em 6 de Fevereiro de 2016.
  • “A Batalha do Viso e a Revolta da Patuleia”, na Universidade Sénior de Setúbal, em 13 de Fevereiro de 2016.
  • “O centenário de Bocage em 1905”, na Sociedade de Geografia de Lisboa, em 20 de Junho de 2016.
  • “O Centenário de Bocage em 1905”, no congresso «Bocage e as Luzes do século XVIII», em 14 de Setembro de 2016.
  • «O MUD e a candidatura de Norton de Matos na resistência à ditadura de Salazar», na Casa da Cultura de Setúbal, em 22 de Abril de 2017.
  • «Guernica – a Arte e a História», na Casa da Cultura de Setúbal em 19 de Novembro de 2017.
  • «60 anos da candidatura de Humberto Delgado à Presidência», na Casa da Cultura de Setúbal, em 24 de Novembro

Atividades de Álvaro Arranja como Formador de ProfessoresEditar

- responsável pelo curso «Ensinar a História da 1ª República Portuguesa», no Centro de Formação de Professores de Setúbal, no ano letivo de 2017-2018.

Prefácio de livros de outros autores escritos por Álvaro ArranjaEditar

Prefácio do livro «Uma Família nos Tempos de Salazar - a luta diária pelo pão e pela dignidade», de Florbela Teixeira.

  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.
  1. Ata de 30 de abril de 2013 da Assembleia Municipal de Setúbal.
  2. Candidatos do Bloco às legislativas.
  3. A fonte desta informação é a base de dados consultável no site da Biblioteca Pública Municipal de Setúbal.