Suécia Örebro

Orebro

 
  Cidade  
Ponte Kanslibron e o castelo ao fundo
Ponte Kanslibron e o castelo ao fundo
Símbolos
Brasão de armas de Örebro
Brasão de armas
Localização
Örebro está localizado em: Suécia
Örebro
Localização de Örebro na Suécia
Coordenadas 59° 16' N 15° 13' E
Região Gotalândia
Província Närke
Condado Örebro
Comuna Örebro
Características geográficas
Área total 50,6 km²
População total (2018) 120 650 hab.
Densidade 2 384,4 hab./km²
Website www.orebro.se

Örebro (pronúncia: /œrɛˈbruː/; Nuvola apps arts.svg ouça a pronúncia) ou Orebro (por adaptação tipográfica) é uma cidade da província de Närke, na região da Gotalândia, na Suécia. É sede da comuna de Örebro, e capital do condado de Örebro. Possui 50,6 quilômetros quadrados e, segundo censo de 2018, havia 120 650 habitantes. Goza de uma posição central na Escandinávia, a 200 km de Estocolmo, 330 de Oslo e 280 km de Gotemburgo. Está localizada na margem ocidental do lago Hjälmaren, junto à foz do rio Svartån. [1][2][3][4][5]

Etimologia e usoEditar

O nome geográfico Örebro deriva das palavras ör (banco de saibro) e bro (ponte), significando ”ponte sobre o banco de saibro”. A cidade está mencionada como "Ørabro", em 1260. [6]

Em textos em português costuma ser usada a forma original Örebro, ocasionalmente transliterada para Orebro, por adaptação tipográfica.

HistóriaEditar

 
Örebro por volta de 1680, segundo a Suecia antiqua et hodierna.

Örebro cresceu na encruzilhada da ponte atravessando o rio Svartån, dos caminhos terrestres com ligação à Västergötland, Östergötland, Värmland, Västmanland, Dalarna, e das rotas aquáticas ligando o lago Hjälmaren ao Vale do Mälaren. Recebeu o privilégio de cidade (stadsprivilegier) por volta do século XIII. Em 1810, foi o lugar da reunião do Parlamento da Suécia, na qual o marechal francês Bernadotte foi eleito sucessor ao trono do reino. Em 1812, foi assinado na cidade o Tratado de Paz de Örebro, entre a Suécia e a Grã-Bretanha, após uma curta guerra em 1810-1812, na qual não foi disparado um único tiro. A primeira via férrea do país, entre Köping e Hult, viu a luz do dia em 1852. A primeira grande empresa da cidade – uma fábrica de espingardas - foi fundada em 1600. No final do século XIX, houve um rápido desenvolvimento industrial, marcado por uma grande fábrica de fósforos, pela ascensão a centro de produção de sapatos da Suécia, e pela fundação de uma grande fábrica de biscoitos. O declínio económico atingiu Örebro na década de 1960. Para recuperar a sua posição a cidade recebeu várias instituições administrativas e de serviços tais como o Instituto Nacional de Estatística e a Universidade de Örebro. [7][8][9]

ComunicaçõesEditar

Em Örebro confluem duas estradas europeias – a E18, ligando Karlstad a Estocolmo e a E20, ligando Malmö e Gotemburgo a Estocolmo. Existem duas estações ferroviárias, com ligações a Estocolmo, e às províncias de Västmanland, Dalarna, Gästrikland, Västergötland e Östergötland. O aeroporto de Örebro fica 12 km a oeste da cidade. [10]

EconomiaEditar

Conhecida como a "cidade do sapato", por ter sido o centro nacional de produção de calçados na primeira metade do século XX, ainda tem certo carácter industrial, apesar do desaparecimento das fábricas de sapatos. Entre as suas indústrias, tem particular relevo a produção metalúrgica, de máquinas e de papel, assim como a investigação de alto nível tecnológico. Entre as empresas presentes na cidade estão a E.ON (energia), a Axfood Närlivs (grossista de produtos de consumo), a DHL (logística internacional e correio expresso), a Procordia Foods (produtos alimentares), e as oficinas ferroviárias SJ (transportes ferroviários estatais). Tem todavia adquirido cada vez mais carácter de cidade administrativa e de serviços de alta qualidade, com especial destaque para a Universidade de Örebro, para o Hospital Universitário de Örebro, e para o Instituto Nacional de Estatística. [11][12][13][14]

EducaçãoEditar

Em Örebro existem duas instituições de ensino superior - a Universidade de Örebro (Örebro universitet) e a Escola Superior de Missionários de Örebro (Örebro Missionsskola), e duas escolas secundárias nacionais em regime de internato para deficientes auditivos

Património histórico, cultural e turísticoEditar

Örebro dispõe de um património que reflete as suas raízes medievais e o seu papel histórico até aos nossos dias. [15]

  • Castelo de Örebro (Örebro slott)
  • Igreja de São Nicolau (S:t Nicolai kyrka)
  • Igreja de Olaus Petri (Olaus Petri kyrka)
  • Museu Regional de Örebro (Örebro läns museum)
  • Reserva cultural de Wadköping (com velhas casas de madeira)

Referências

  1. Ernby 2001, p. 787.
  2. City Population.
  3. Ottosson 2008, p. 244.
  4. Harlén, Hans; Eivy Harlén (2003). «Örebro». Sverige från A till Ö [A Suécia de A a Ö]. Geografisk-historisk uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Kommentus. p. 564. 583 páginas. ISBN 91-7345-139-8 
  5. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Örebro». Bonniers uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag. p. 1133. 1143 páginas. ISBN 91-0-011462-6 
  6. Wahlberg, Mats (2003). «Örebro». Svenskt ortnamnslexikon (Dicionário dos nomes das localidades suecas) (em sueco). Uppsala: Språk- och folkminnesinstitutet e Institutionen för nordiska språk vid Uppsala universitet. p. 396. 422 páginas. ISBN 91-7229-020-X 
  7. «Örebro». Norstedts uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts. 2007-2008. p. 1470. 1488 páginas. ISBN 9789113017136 
  8. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Örebro». Bonniers uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag. p. 1133. 1143 páginas. ISBN 91-0-011462-6 
  9. Svensson, Lars (2001). «Örebro». Värt att se i Sverige [Para ver na Suécia]. En reseguide (em sueco). Estocolmo: Bonnier. p. 167. 383 páginas. ISBN 9100571903 
  10. Lidman Production AB (texto) e Matton (fotografia) (2011). «Närke». Libers stora junioratlas (em sueco). Estocolmo: Liber. p. 26. 144 páginas. ISBN 9789147809028 
  11. Enciclopédia Nacional Sueca.
  12. Mæhlum 2018.
  13. Editores 1998.
  14. Valeur 2017.
  15. Ottosson, Mats; Åsa Ottosson (2008). «Örebro». Upplev Sverige (Conheça a Suécia). En guide till upplevelser i hela landet (em sueco). Estocolmo: Wahlström Widstrand. p. 243-244. 527 páginas. ISBN 9789146215998 

BibliografiaEditar

  • Editores. «Örebro» (em inglês). Britânica Online 
  • «Örebro». Enciclopédia Nacional Sueca (em sueco). Gotemburgo: Universidade de Gotemburgo 
  • Ernby, Birgitta; Gellerstam, Martin; Malmgren, Sven-Göran; Axelsson, Per; Fehrm, Thomas (2001). «Örebro». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. p. 767. ISBN 91-7227-186-8 
  • Ottosson, Mats; Ottosson, Åsa (2008). «Örebro». Upplev Sverige. En guide till upplevelser i hela landet (em sueco). Estocolmo: Wahlström Widstrand. 527 páginas. ISBN 9789146215998 
  • Wahlberg, Mats (2003). «Örebro». Svenskt ortnamnslexikon (Dicionário das localidades suecas) (em sueco). Upsália: Språk- och folkminnesinstitutet e Institutionen för nordiska språk vid Uppsala universitet. ISBN 91-7229-020-X 
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Örebro