400 metros com barreiras

400 metros com barreiras é uma modalidade olímpica do atletismo que consiste em uma corrida de velocidade com a superação de barreiras ao longo da totalidade de uma pista padrão ovalada desta distância.

400 metros com barreiras
Olímpico desde 1900 H / 1984 S
Desporto Atletismo
Praticado por Ambos os sexos
Campeões Olímpicos
Tóquio 2020
Homens Karsten Warholm
 Noruega
Mulheres Sydney McLaughlin
 Estados Unidos
Campeões Mundiais
Doha 2019
Homens Karsten Warholm
 Noruega
Mulheres Dalilah Muhammad
 Estados Unidos

HistóriaEditar

A primeira prova da modalidade foi disputada em 1860 em Oxford, na Inglaterra, com os atletas tendo que saltar sobre doze barreiras com cerca de 100 cm de altura, colocadas em sua extensão, antes de chegar à meta. Com a extensão de 440 jardas, as barreiras eram feitas de madeira e enterradas no solo.[1]

A primeira prova olímpica surgiu em Paris 1900 e Walter Tewksbury, dos Estados Unidos, o primeiro campeão olímpico e nela as barrreiras foram reduzidas a dez, mantendo-se assim posteriormente. O evento faz parte do programa olímpico desde então, com exceção de Estocolmo 1912. A prova foi introduzida no feminino em Los Angeles 1984 e vencida por Nawal El Moutawakel, do Marrocos, a primeira africana e primeira atleta de um país muçulmano a ser campeã olímpica;[1] hoje Nawal é membro-executivo do Comitê Olímpico Internacional e presidente do Comitê de Avaliação para seleção das cidades candidatas aos Jogos Olímpicos de 2012 e 2016.[2]

O domínio dos Estados Unidos na prova masculina é absoluto através dos tempos, com dezoito medalhas de ouro em Olimpíadas [1] e o bicampeão olímpico e quatro vezes recordista mundial Edwin Moses é o maior nome na história da prova, com 122 vitórias consecutivas em sua carreira no curso de uma década. [3] O recorde mundial pertence ao norueguês Karsten Warholm – 45.94 – e o feminino é da norte-americana Sydney McLaughlin – 51.46. Os dois também são os atuais campeões olímpicos. [4][5]

RegrasEditar

Os atletas largam de blocos de partida fixados no chão e dão uma volta inteira em torno da pista dentro de suas raias designadas, saltando dez barreiras até a linha de chegada. As barreiras, com largura idêntica a da raia de corrida, feitas de um alumínio especial e desenhadas para cair para a frente a um toque mais forte, tem uma altura de 91,4 cm na prova masculina; para as mulheres a altura é de 76,2 cm. As barreiras podem ser tocadas ou até derrubadas sem desclassificação do atleta que geralmente é o único prejudicado em seu próprio tempo nesta situação.[1]

Assim como em outras provas de velocidade do atletismo, um tempo de reação inferior a 0.1s ao sinal de largada é considerado como uma largada falsa e o atleta desclassificado com a prova sendo reiniciada com os restantes. Um atleta também pode ser desclassificado caso pise na raia de outro competidor.[1]

RecordesEditar

De acordo com a Federação Internacional de Atletismo – IAAF.[6] [7]

Homens
Recorde Marca Atleta País Data Local
  45.94 Karsten Warholm   3 agosto 2021 Tóquio
  45.94 Karsten Warholm   3 agosto 2021 Tóquio 2020
Mulheres
Recorde Marca Atleta País Data Local
  51.46 Sydney McLaughlin   4 agosto 2021 Tóquio
  51.46 Sydney McLaughlin   4 agosto 2021 Tóquio 2020

Melhores marcas mundiaisEditar

As marcas abaixo são de acordo com a Federação Internacional de Atletismo – IAAF.[8][9]

HomensEditar

Posição Tempo Atleta País Data Local
1 45.94 Karsten Warholm   3 agosto 2021 Tóquio
2 46.17 Rai Benjamin   3 agosto 2021 Tóquio
3 46.70 Karsten Warholm   1 julho 2021 Oslo
4 46.72 Alison dos Santos   3 agosto 2021 Tóquio
5 46.78 Kevin Young   6 agosto 1992 Barcelona
6 46.83 Rai Benjamin   26 junho 2021 Eugene
7 46.87 Karsten Warholm   23 agosto 2020 Estocolmo
8 46.92 Karsten Warholm   29 agosto 2019 Zurique
9 46.98 Abderrahman Samba   30 junho 2018 Paris
46.98 Rai Benjamin   29 agosto 2019 Zurique

MulheresEditar

Posição Tempo Atleta País Data Local
1 51.46 Sydney McLaughlin   4 agosto 2021 Tóquio
2 51.58 Dalilah Muhammad   4 agosto 2021 Tóquio
3 51.90 Sydney McLaughlin   27 junho 2021 Eugene
4 52.03 Femke Bol   4 agosto 2021 Tóquio
5 52.16 Dalilah Muhammad   4 outubro 2019 Doha
6 52.20 Dalilah Muhammad   28 julho 2019 Des Moines
7 52.23 Sydney McLaughlin   4 outubro 2019 Doha
8 52.34 Yuliya Pechonkina   8 agosto 2003 Tula
9 52.37 Femke Bol   4 julho 2021 Estocolmo
10 52.39 Shamier Little   4 julho 2021 Estocolmo

Melhores marcas olímpicasEditar

As marcas abaixo são de acordo com o Comitê Olímpico Internacional – COI.[10]

HomensEditar

Posição Tempo Atleta País Medalha Local
1 45.94
Karsten Warholm   ouro Tóquio 2020
2 46.17 Rai Benjamin   prata Tóquio 2020
3 46.72 Alison dos Santos   bronze Tóquio 2020
4 46.78 Kevin Young   ouro Barcelona 1992
5 47.08 Kyron McMaster   Tóquio 2020
6 47.12 Abderrahman Samba   Tóquio 2020
7 47.19 Andre Phillips   ouro Seul 1988
8 47.23 Amadou Dia Ba   prata Seul 1988
9 47.25 Angelo Taylor   ouro Pequim 2008
10 47.30 Karsten Warholm   Tóquio 2020

* A marca de Karsten Warholm (47.30) foi conquistada nas semifinais de Tóquio 2021.[11]

MulheresEditar

Posição Tempo Atleta País Medalha Local
1 51.46 Sydney McLaughlin   ouro Tóquio 2020
2 51.58 Dalilah Muhammad   prata Tóquio 2020
3 52.03 Femke Bol   bronze Tóquio 2020
4 52.64 Melaine Walker   ouro Pequim 2008
5 52.70 Natalya Antyukh   ouro Londres 2012
6 52.77 Fani Halkia   Atenas 2004
52.77 Lashinda Demus   prata Londres 2012
8 52.82 Deon Hemmings   ouro Atlanta 1996
52.82 Fani Halkia   ouro Atenas 2004
10 52.99 Deon Hemmings  
Atlanta 1996

* As marcas de Fani Halkia (52.77) e Deon Hemmings (52.99) foram conseguidas nas semifinais de Atenas 2004 e Atlanta 1996.

Marcas da lusofoniaEditar

País
Masculino
Atleta
Ano
Local
Feminino
Atleta
Ano
Local
 
46.72
Alison dos Santos
2021
Tóquio
55.15
Chayenne Pereira
2021
São Paulo
[12][13]
 
48.77
Pedro Rodrigues
Carlos Silva
1994
1999
Helsinque
Zurique
55.22
Vera Barbosa
2012
Londres
[14][15]:600
 
49.02
Kurt Couto
2012
Praga
1:03.01
Telma Cossa
2002
Germiston
[16]
 
50.68
Edivaldo Monteiro
1998
Lisboa
sem registro
[17][18]:600
 
51.95
Wilson André
1995
Lisboa
58.34
Delfina Joaquim
1999
Lisboa
[19]
 
53.69
Arlindo Pinheiro
2001
Lisboa
58.34
sem registro
[20][21]:600
 
56.82
Maurício Alves
2012
Lisboa
1:04.91
Lenira Santos
2004
Lisboa
[22]

Referências

  1. a b c d e «400 meters hurdles». IAAF. Consultado em 9 de setembro de 2015 
  2. «Nawal el-Moutawakel, Morocco». Financial Times. Consultado em 9 de setembro de 2015 
  3. «Edwin Moses Biography». biography.com. Consultado em 9 de setembro de 2015. Arquivado do original em 2 de setembro de 2015 
  4. «McLaughlin smashes world 400m hurdles record in Tokyo with 51.46». World Athletics. Consultado em 3 agosto 2021 
  5. «Warholm smashes world 400m hurdles record with incredible 45.94 run in Tokyo». World Athletics. Consultado em 3 agosto 2021 
  6. «400 METRES HURDLES MEN». IAAF. Consultado em 4 outubro 2019 
  7. «400 METRES HURDLES WOMEN». IAAF. Consultado em 28 setembro 2019 
  8. «All time best M». IAAF. Consultado em 23 de março de 2019 
  9. «All time best W». IAAF. Consultado em 23 de março de 2019 
  10. «48 PAST OLYMPIC GAMES». OIC. Consultado em 24 de abril de 2013 
  11. «400 METRES HURDLES MEN Heats». World Athletics. Consultado em 1 agosto 2021 
  12. «Recordes Brasileiros». CBAt. 9 de julho de 2021 
  13. «400 METRES HURDLES MEN». World Athletics. 3 agosto 2021 
  14. «RECORDES DE PORTUGAL». FPA. Consultado em 1 de setembro de 2015. Arquivado do original em 24 de setembro de 2015 
  15. «IAAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017 STATISTICS HANDBOOK». IAAF. 2017. Consultado em 2 de agosto de 2017 
  16. «Josef Odložil Memorial 2012 Complete Results». European Athletics Association. 11 de junho de 2012. Consultado em 14 de junho de 2012 
  17. «estatisticas». FAA. Consultado em 1 de setembro de 2015 
  18. «IAAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017 STATISTICS HANDBOOK». IAAF. 2017. Consultado em 2 de agosto de 2017 
  19. «estatisticas». FAA. Consultado em 1 de setembro de 2015 
  20. «estatisticas». FAA. Consultado em 1 de setembro de 2015 
  21. «IAAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017 STATISTICS HANDBOOK». IAAF. 2017. Consultado em 2 de agosto de 2017 
  22. «Tabela de Records de Cabo Verde». FCA. Consultado em 1 de setembro de 2015. Arquivado do original em 24 de setembro de 2015 

Ligações externasEditar