A Mãe É que Sabe

(Redirecionado de A Mãe é que Sabe)
A Mãe é que Sabe
Cartaz do filme
Portugal Portugal
2016 •  cor •  88 min 
Realização Nuno Rocha
Produção Pablo Iraola
Pandora da Cunha Telles
Argumento Nuno Rocha
Roberto Pereira
Elenco Maria João Abreu
Joana Pais de Brito
Filipe Vargas
Filipa Areosa
Manuel Cavaco
Dalila Carmo
Adriano Carvalho
Género comédia
Cinematografia Luís Branquinho
Edição Paula Miranda
Companhia(s) produtora(s) Ukbar Filmes
Distribuição Ukbar Filmes
Lançamento Portugal 8 de dezembro de 2016
Idioma português
Orçamento 350 000 €[1]
Receita 47 379,62 €[2]
Página no IMDb (em inglês)

A Mãe é que Sabe é um filme português de comédia, realizado por Nuno Rocha e produzido por Pablo Iraola e Pandora da Cunha Telles.[3]

Estreou-se em Portugal a 8 de dezembro de 2016.[4]

SinopseEditar

O filme gira à volta de Ana Luísa, que durante os festejos do aniversário do seu pai, vai percebendo, juntos das outras pessoas que também se encontram presentes, o impacto que a sua mãe Josefa, já falecida, teve nas escolhas da sua vida. Entretanto, um acontecimento astrofísico ocorre, deixando alguns poderem entrar em universos paralelos, sendo Ana uma dessas pessoas, e dando-lhe a hipótese de escolher continuar como está, ou alterar algo no passado, mudando o seu presente para sempre.[5]

ElencoEditar

  • Maria João Abreu como Ana Luísa
  • Joana Pais de Brito como Josefa 73 / 86 / 92
  • Filipe Vargas como Adelino 73 / 86 / 92
  • Filipa Areosa como Ana Luísa 86 / 92
  • Manuel Cavaco como Adelino
  • Dalila Carmo como Daniela
  • Adriano Carvalho como Carlos
  • Manuela Maria como tia São
  • Carlos Santos (†) como tio Domingos
  • Ricardo Azevedo como Fernando
  • Bruno Cabrerizo como Vítor
  • Beatriz Costa como Mariana
  • Noémia Costa como Eduarda
  • Catarina Rebelo como Daniela 86 / 92
  • Margarida Carpinteiro como Josefa 2016
  • Miguel Monteiro como Mário
  • João Maria Maneira como Carlos 1992
  • Carminho Santos Saraiva como Ana Luísa 1973
  • Lara Braga como Daniela 1973
  • Tiago Martins como Tozé
  • Guilherme Moura como namorado da Ana Luísa
  • José Condessa como namorado da Ana Luísa
  • Bruno Ambrósio como rapaz do cinema
  • Miguel Taborda como rapaz do cinema
  • João Pires como rapaz do cinema
  • Gonçalo Lello como vendedor de gelados
  • Estela Machado como entrevistadora da TV
  • Miguel Gonçalves como cientista entrevistado
  • Helder Clayton como pivot Notícias TV
  • Anabela Baltasar como intérprete de linguagem gestual
  • Jan Wiborg como Fernando 1992
  • Nuno Diogo como fotógrafo do casamento
  • Rodrigo Albuquerque como repórter do casamento
  • Diogo Mesquita como médico

CríticasEditar

O filme foi geralmente bem recebido pela crítica.

Ângela Marques da Revista Sábado deu 4.5 estrelas (em cinco possíveis), descreveu o filme como uma "revelação - a revelação de um realizador, Nuno Rocha (que já tinha deixado boas indicações com a curta 3x3), a revelação de uma actriz, Joana Pais de Brito (que já tinha deixado óptimas indicações em Donos Disto Tudo, na RTP) e a revelação de um cinema português comercial que finalmente merece ser acomodado na categoria de comédia (e que andava a deixar muito más indicações nos últimos anos)"[6].

Para Filipa Saraiva do Cinema 7ª Arte, o filme é prova de que "nem sempre é preciso carregar uma bagagem de experiência às costas para fazer um bom filme" (em referência ao facto de este ser o primeiro filme de Nuno Rocha); ainda que aparentemente simplista, "toma uma relevância gigantesca, visto que carrega consigo um significado digno de ser relembrado e valorizado". Para a crítica, o filme torna-se "tão imersivo e nostálgico", "com um ritmo próprio" devido à componente da memória; a comédia que o filme proporciona "aparece de forma subtil e elegante, contrastando muitas vezes com momentos comoventes". Saraiva acabou por dar ao filme três em quatro estrelas.[7]

A escrever para a Arte-Factos, José Santiago deu ao filme 7.5 estrelas (em 10 possíveis), e escreveu que se trata de "um belíssimo filme, carregado de boa disposição e algum peso emocional", elogiando a narrativa, que "ultrapassa a premissa e que se torna numa celebração da vida e de todas as pessoas que nos rodeiam", e que há "um equilíbrio muito bem conseguido entre os dois géneros [comédia e drama] e um riso pode muito bem conduzir a uma lágrima". Outro ponto forte do filme foi o elenco, "com as interpretações de personagens que verdadeiramente ganham vida", destacando o desempenho de Maria João Abreu e Joana Pais de Brito.[8]

Nem todas as críticas foram completamente positivas.

Luís Miguel Oliveira, a escrever para o Jornal Público, deu uma estrela (em cinco possíveis) critica o filme, como sendo "completamente irrelevante", que "não é muito sofisticado […] no seu registo muito colado ao naturalismo televisivo, feito com um profissionalismo sem surpresas nem inspiração digna desse nome". Mesmo assim, reconheceu que não pode ser anulada ao filme "uma certa simpatia pela sua atitude, a de procurar uma espécie de elegância que em momento algum hostiliza o espectador ou o trata como um alarve", especialmente pelo denotado "interesse (genuíno) pelos actores, sempre bem tratados, sobretudo os mais velhos".[9]

Prémios e nomeaçõesEditar

Lista de prémios e nomeações
Prémios Categoria Nomeado Resultado R.
Globos de Ouro 2017 Melhor Actriz Principal – Cinema Maria João Abreu Indicado [10]
Prémios Sophia – Academia Portuguesa de Cinema 2017 Melhor Filme Pandora da Cunha Telles
Pablo Iraola
Ukbar Filmes
Indicado [11]
Melhor Realizador Nuno Rocha Indicado [11]
Melhor Actriz Secundária Dalila Carmo Indicado [11]
Manuela Maria Venceu [11][12]
Melhor Actor Secundário Adriano Carvalho Venceu [11][12]
Carlos Santos Indicado [11]
Melhor Guarda-Roupa Mia Lourenço Indicado [11]
Melhor Argumento Original Nuno Rocha
Roberto Pereira
Indicado [11]
Melhor Montagem Paula Miranda Indicado [11]
Melhor Som Pedro Melo
Tiago Raposinho
Tiago Matos
Indicado [11]
Melhor Direcção Artística Joana Cardoso Indicado [11]
Melhor Fotografia Luís Branquinho Indicado [11]
Melhor Guarda-Roupa Mia Lourenço Indicado [11]
Caminhos do Cinema Português 2017 Melhor Actriz Secundária Joana Pais de Brito Indicado [13]
Prémios Aquila 2018 Prémio do Júri – Melhor Actriz Principal Maria João Abreu Indicado [14]
Joana Pais de Brito Indicado [14]
Prémio do Júri – Melhor Actriz Secundária Margarida Carpinteiro Indicado [14]
Prémios CinEuphoria 2017 Melhor Actriz Principal – Competição Nacional Maria João Abreu Indicado [15]
Melhor Actriz Secundária – Competição Nacional Joana Pais de Brito Indicado [15]
Melhor Actor Secundário – Competição Nacional Adriano Carvalho Indicado [15]
Melhor Elenco – Competição Nacional O Elenco Indicado [15]
Melhor Argumento Original – Competição Nacional Nuno Rocha
Roberto Pereira
Indicado [15]
Melhor Maquilhagem / Cabelos – Competição Nacional Inês Pauor
Mário Leal
Venceu [15][16]
Melhor Guarda-Roupa – Competição Nacional Mia Lourenço Indicado [15]
Melhor Montagem – Competição Nacional Paula Miranda Indicado [15]
Melhor Direcção de Arte – Competição Nacional Joana Cardoso Indicado [15]

Referências

  1. «A Mãe é que Sabe». IMDb. Consultado em 3 de outubro de 2018 
  2. «RANKING DOS FILMES NACIONAIS ESTREADOS - 2016» (PDF). Instituto do Cinema e do Audiovisual. 28 de dezembro de 2016. Consultado em 3 de outubro de 2018 
  3. «A Mãe é que Sabe». SAPO Mag. Consultado em 3 de outubro de 2018 
  4. «A Mãe É Que Sabe». Cinemax. Consultado em 3 de outubro de 2018 
  5. Rui Pedro Tendinha (29 de maio de 2016). «A Mãe é Que Sabe: viagens no tempo com bacalhau com natas». Diário de Notícias. Consultado em 3 de outubro de 2018 
  6. Marques, Ângela (22 de dezembro de 2016). «Crítica de Cinema: A Mãe é que Sabe». Revista Sábado. Consultado em 15 de maio de 2020 
  7. Saraiva, Filipa (18 de dezembro de 2017). ««A Mãe é Que Sabe» - Uma comédia repleta de nostalgia (Caminhos 2017)». Cinema Sétima Arte. Consultado em 15 de maio de 2020 
  8. Santiago, José. «A Mãe É Que Sabe – Crítica». Arte-Factos. Consultado em 15 de maio de 2020 
  9. Oliveira, Luís Miguel (9 de dezembro de 2016). «A Mãe É Que Sabe – Irrelevante, mas não alarve». Público. Consultado em 15 de maio de 2020 
  10. Barreto, Diogo (26 de abril de 2017). «Conheça os nomeados para os Globos de Ouro». TVI 24. Consultado em 15 de maio de 2020 
  11. a b c d e f g h i j k l m Vieira, André Antunes (24 de fevereiro de 2017). «Revelados os nomeados para os Prémios Sophia 2017». NiT – New in Town. Consultado em 15 de maio de 2020 
  12. a b «Vencedores Prémios Sophia 2017». Prémios Sophia. 16 de junho de 2017. Consultado em 15 de maio de 2020 
  13. Alves, Tiago (24 de fevereiro de 2017). «Prémios Sophia 2017: Nomeados». RTP. Consultado em 15 de maio de 2020 
  14. a b c Kanas, André (5 de abril de 2018). «Conheça os nomeados aos "Prémios Áquila 2018"». Quinto Canal. Consultado em 15 de maio de 2020 
  15. a b c d e f g h i Peralta, Paulo (26 de dezembro de 2016). «CinEuphoria: CinEuphoria Prémios 2017 - Competição Nacional: os nomeados». CinEuphoria. Consultado em 15 de maio de 2020 
  16. Peralta, Paulo (13 de janeiro de 2017). «CinEuphoria: CinEuphoria Prémios 2017: os vencedores». CinEuphoria. Consultado em 15 de maio de 2020 
  Este artigo sobre um filme português é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.