Abóbada de combados

A abóbada de combados consiste num tipo específico de abobadamento, de perfil muito rebaixado e cujos nervos secundários se dispõem como grandes pétalas numa flor. Até 1520 são raros os exemplos desta técnica na Península Ibérica.

Abóbada de combados da nave da Igreja de Vilar de Frades
Abóbada de combados da capela-mor da Sé de Braga, c. 1509

Os autores dividem-se quanto à data de introdução da abóbada de combados em Portugal. Pedro Dias defende que o mais antigo exemplar é o da cabeceira da Sé de Braga, de 1509, da autoria de João de Castilho. Contudo, há autores que datam a abóbada da cabeceira da Igreja de Jesus de Setúbal na última década do século XV, atribuindo-a a Diogo Boitaca[1] que aí teria trabalhado nessa altura[2][3]

Referências bibliográficasEditar

  1. ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de; "A Igreja de Jesus de Setúbal" in Separata da Revista da Faculdade de Letras, II Série, Vol. VII, Porto, 1990, pp. 269 e 276
  2. DIAS, Pedro; A Igreja de Jesus de Setúbal na evolução da arquitectura manuelina Lisboa, 1987
  3. SILVA, José Custódio Vieira da, A igreja de Jesus de Setúbal, Biblioteca Património, Salpa: Setúbal, s./d., p.20-22 e 33
  Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.