Abrir menu principal

Abdul Fatah Younis Al-Obeidi (em árabe: عبد الفتاح يونس, ou Abdel, ou Fattah Younis, ou Fattah Younes, ou Fatah Younes) (1944 - 28 de julho de 2011, Líbia), em 1969, foi um dos militares que ajudou a depor o Rei Idris[1], era o Ministro do Interior do Regime de Gadafi até 22 de fevereiro de 2011[2], no início da Guerra Civil Líbia, quando renunciou e passou para o lado dos rebeldes.

Muitos rebeldes eram contrários à sua liderança no campo militar como Khalifa Hafter, que disputou o comando das forças rebeldes em Bengazi com Younis[3][4][5][6][7][8].

No dia 29 de julho de 2012 foi anunciado seu assassinato[1][9]

O Assassinato de Abdel Fatah YounisEditar

Antes de sua morte o Gen. Younis foi detido na linha de frente próxima a Brega, em Zueitina, por integrantes da Milícia Mártires de 17 de Fevereiro[10] para responder às acusações de que ele havia visitado Trípoli para se encontrar com ministros de Gadafi, de que membros da sua família tinham se mantido aliados ao Regime Líbio e de tráfico de armas para os oficialistas[11].

Após sua detenção, combatentes da mesma tribo que Younis[12] deixaram a linha de frente e se dirigiram à Bengazi, o que fez surgir postos de controle naquela cidade, homens armados invadiram o Hotel Tibesti[13] onde o líder do CNT, Mustafa Abdul Jalil, anunciou a morte de Younis, e dispararam diversos tiros de fuzil nas paredes[9].

Seu corpo foi encontrado junto com o de dois de seus colaboradores: o Coronel Muhammad Khamis e Nasir al-Madhkur[1]. Havia relatos conflitantes, uns diziam que ele foi executado com um tiro na cabeça e outros diziam que ele morreu sob tortura durante o interrogatório. Parentes encontraram o corpo queimado e crivado de balas.

Em um primeiro momento o Conselho Nacional de Transição (CNT) tentou atribuir a autoria do crime a agentes de Muamar Gadafi[9], mas depois passou a atribuir a autoria do assassinato a extremistas islâmicos da Brigada Obaida Ibn Jarrah[14][15]. O Regime Líbio acusou pessoalmente Fawzi Bu Kitf, chefe da União das Forças Revolucionárias, por sua vez Bu Kitf responsabilizou Mustafa al-Rubh, o comandante de campo que tinha sido despachado para prender Younis[16]. Uma investigação posterior apontou Ali Abdelaziz Al-Saad Essawi como principal responsável, que negou o envolvimento em um telefonema para a estação local de televisão Awalen[17].

Os legalistas diziam que incidente demonstraria que os rebeldes não seriam capazes de governar a Líbia, pois não foram capazes de proteger seu próprio comandante militar. O porta-voz legalista Moussa Ibrahim aproveitou a oportunidade para criticar o reconhecimento dos rebeldes como único representante do povo líbio, feito pelo governo britânico na véspera do incidente, e para responsabilizar a Al-Qaeda pelo assassinato de Younis.

No momento de seu enterro, seu filho, Ashraf gritou: "Queremos a volta de Muamar, queremos a bandeira verde de volta!"[10][18][19].

Referências

  1. a b c Libyan rebel commander Abdel Fattah Younes killed, em inglês, acesso em 03 de novembro de 2012
  2. Libya In Crisis: What’s Next?, em inglês, acesso em 03 de novembro de 2012
  3. Libyan rebels fear rift after death of Abdel Fatah Younis, em inglês, acesso em 06 de novembro de 2012
  4. General's death puts Libyan rebels in turmoil, em inglês, acesso em 07 de novembro de 2012
  5. Libyan rebel efforts frustrated by internal disputes over leadership, em inglês, acesso em 07 de novembro de 2012
  6. The task of forming a more effective anti-Gaddafi army, em inglês, acesso em 07 de novembro de 2012
  7. Libya's rebel government in waiting – and in hiding, em inglês, acesso em 17 de novembro de 2012
  8. WHO ARE THE REBELS?, em inglês, acesso em 17 de novembro de 2012
  9. a b c Top Libyan rebel commander shot dead, em inglês, acesso em 03 de novembro de 2012
  10. a b Abdel Fatah Younis Assassinated By Rebels: Rebel Officer, em inglês, acesso em 06 de novembro de 2012
  11. Libya opposition arrests senior leader, em inglês, acesso em 06 de novembro de 2012
  12. Tribo Obeidi que na época era a maior tribo de Bengazi (Abdel Fatah Younis assassination creates division among Libya rebels, em inglês, acesso em 7 de novembro de 2012)
  13. Mystery over Libyan rebel commander's death, em inglês, acesso em 07 de novembro de 2012
  14. Nome de um dos companheiros do Profeta Maomé (Libya rebels say Younis killers were 'Islamist element', em inglês, acesso em 06 de novembro de 2012)
  15. NTC Confirms General Younis Killed AFTER Interrogation Arquivado em 20 de março de 2012, no Wayback Machine., em inglês, acesso em 06 de novembro de 2012)
  16. WRAPUP 4-Libyan rebel commander killed by allied militia, em inglês, acesso em 07 de novembro de 2012
  17. Libya says ex-deputy PM suspect in general's killing, em inglês, acesso em 07 de novembro de 2012
  18. Libya rebels say Younis killers were 'Islamist element', em inglês, acesso em 06 de novembro de 2012
  19. Witnesses: Commander killed by fellow Libya rebels, em inglês, acesso em 06 de novembro de 2012