Abrir menu principal

O abuso político da psiquiatria é o mau uso intencional do diagnóstico, da detenção e do tratamento psiquiátrico com o objetivo de obstruir os direitos humanos fundamentais de grupos e indivíduos de uma sociedade.[1][2] Psiquiatras têm sido envolvidos em abusos contra os direitos humanos em vários estados do mundo quando as definições de doença mental foram ampliadas para incluir a desobediência política.[3] Hoje em dia, às vezes, presos políticos são confinados e maltratados em instituições psiquiátricas, em muitos países.[4] O encarceramento psiquiátrico de pessoas mentalmente saudáveis é uniformemente entendido como uma forma perniciosa particular de repressão. [5] Entre os anos 1960s a 1986, o abuso da psiquiatria para fins políticos foi relatado como ocasional em outros países do Leste Europeu, tais como a Romênia, Hungria, Tchecoslováquia e Iugoslávia, e sistemático na União Soviética.[6]

Ver tambémEditar

Links externosEditar

Referências

  1. Voren, Robert van. Political Abuse of Psychiatry—An Historical Overview. Schizophrenia Bulletin. January 2010;36(1):33–35. doi:10.1093/schbul/sbp119. PMID 19892821.
  2. Helmchen, Hanfried; Sartorius, Norman (2010). Ethics in Psychiatry: European Contributions. [S.l.]: Springer. 491 páginas. ISBN 90-481-8720-6 
  3. Semple, David; Smyth, Roger; Burns, Jonathan. Oxford handbook of psychiatry. Oxford: Oxford University Press; 2013. ISBN 0-19-969388-9. p. 6.
  4. Noll, Richard. The encyclopedia of schizophrenia and other psychotic disorders. Infobase Publishing; 2007. ISBN 0-8160-6405-9. p. 3.
  5. Bonnie, Richard. Political Abuse of Psychiatry in the Soviet Union and in China: Complexities and Controversies. Journal of the American Academy of Psychiatry and the Law. 2002 [cited 12 December 2010];30(1):136–144. PMID 11931362.
  6. * Medicine betrayed: the participation of doctors in human rights abuses. Zed Books; 1992. ISBN 1-85649-104-8. p. 66.