Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Fevereiro de 2011). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Se procura por o filho de Melisso, veja Acteão (filho de Melisso).
Acteon, grupo de esculturas em Caserta

Na mitologia grega, Acteon, Actéon ou Acteão era filho de Aristeu e de Autônoe.[1]

Seu pai, Aristeu, era filho de Apolo com Cirene, filha de Hipseu.[2] Sua mãe, Autônoe, era filha de Cadmo,[1][3] rei e fundador de Tebas, e Harmonia, filha de Ares e Afrodite;[3] suas irmãs eram Ino, Sêmele e Agave, e seu irmão era Polidoro.[3]

Exímio caçador, fora criado pelo Centauro Quíron. Um dia, estava a caçar na floresta quando deparou com Ártemis nua, acompanhada de ninfas, banhando-se num lago (ou numa nascente). Famosa por sua castidade, Ártemis ficou indignada, molhou as mãos e aspergiu água no caçador, transformando-o num veado (cervo).

Diodoro Sículo apresenta outras versões: ele teria oferecido o produto de sua caça ao templo de Ártemis, e teria tentado se casar com ela no seu templo; ou ele teria se gabado de que era um melhor caçador do que a deusa.[4]

Foi então perseguido pelos seus próprios cães de caça que o acabaram por matar.[5]

Esse derradeiro encontro também originou o quadro do artista Eugène Delacroix, o qual também serviu como inspiração para "o Verão" no maravilhoso concerto As Quatro Estações de Antonio Vivaldi.

Após a morte de Acteon, Aristeu consultou o oráculo de seu pai, Apolo, que o mandou à ilha de Ceos.[6]

Apolo
Cirene
Cadmo
Harmonia
Aristeu
Autônoe
Acteão

Referências

  1. a b Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro IV, 81.3
  2. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro IV, 81.1
  3. a b c Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.4.2
  4. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro IV, 81.4
  5. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro IV, 81.5
  6. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro IV, 82.1
  Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.