Abrir menu principal
Ademar Ghisi
Da esquerda para a direita: Antônio Benedet, Ademar Ghisi, Irmoto Feuerschuette e Mário Botega. Fotografia depositada no Arquivo Público e Histórico Amadio Vettoretti
Nascimento 24 de dezembro de 1930
Braço do Norte
Morte 2 de junho de 2008 (77 anos)
Lisboa
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Advogado, político

Ademar Paladini Ghisi[a] (Braço do Norte, 24 de dezembro de 1930Lisboa, 2 de junho de 2008) foi um advogado e político brasileiro.[1]

VidaEditar

Filho de Atílio Ghisi e de Hermínia Paladini Ghisi. Nasceu em Braço do Norte, quando o município ainda pertencia a Tubarão. Formado em direito pela Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, em 1954.

CarreiraEditar

Foi deputado à Assembléia Legislativa de Santa Catarina na 4ª legislatura (1959 — 1963) e na 5ª legislatura (1963 — 1967).

Foi deputado federal por Santa Catarina em cinco mandatos, na 43ª legislatura (1967 — 1971), na 44ª legislatura (1971 — 1975), na 45ª legislatura (1975 — 1979), na 46ª legislatura (1979 — 1983), e na 47ª legislatura (1983 — 1987).

Foi um dos 65 deputados a votar contra a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 5 de 2 de março de 1983, mais conhecida como Emenda Constitucional Dante de Oliveira , que propunha a restauração das eleições diretas para a presidência da República .

Foi ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), de 1985 até aposentar-se em 2000. Foi vice-presidente do TCU, de 1988 a 1989, e presidente, de 1990 a 1991.

Foi sepultado em Brasília, onde residia, no cemitério Campo da Esperança, setor dos pioneiros.

PublicaçõesEditar

  • Adeus à Câmara. Brasília : Centro de Documentação e Informação da Câmara dos Deputados, 1984.

BibliografiaEditar

  • Piazza, Walter: Dicionário Político Catarinense. Florianópolis : Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1985.

NotasEditar

a. ^ Pela antiga norma ortográfica, Adhemar Paladini Ghisi.

Referências

Ligações externasEditar