Abrir menu principal

Adriana Brunstein (São Paulo, 1970) é uma roteirista e dramaturga brasileira.[1]

Cientista por formação, largou o trabalho com física quântica e genética para dedicar-se apenas à ficção. É roteirista de inúmeros curtas, e do longa Liz Vamp (de Liz Marins).

Sua primeira peça de teatro, Flores de Asfalto, estreou no dia 24 de Outubro de 2008 nas Satyrianas, o maior festival de teatro do Brasil. A peça foi protagonizada por Gustavo Goulart, Ator e Músico brasileiro de carreira internacional, reconhecido por seus filmes nos Estados Unidos e por personagens que fez em novelas da Rede Globo.

O outro protagonista de Flores de Asfalto foi o Ator Renato Jardim, que hoje é YouTuber (canal Cabeça de Tinta) e Apresentador de um programa de variedades no canal MixTV. A peça foi dirigida por Marcos Azevedo, que ficou conhecido por ter sido o primeiro Diretor Teatral da história a realizar dois espetáculos simultaneamente, em dois continentes diferentes (América do Sul e Europa), com comunicação direta e interatividade ao vivo (via streaming) entre as ações cênicas dos elencos de ambos os espetáculos.

É dona do blog de ficção Pontada no Apêndice. Na área de HQ, ganhou o Troféu HQ Mix 2009 como Melhor Roteirista pelo álbum Prontuário 666: Os Anos de Cárcere de Zé do Caixão,[2] feito em parceria com Samuel Casal. A história é prelúdio do filme Encarnação do Demônio (de Zé do Caixão), no qual Adriana também foi Assistente.[3]

Referências

  1. Cineclick - PRONTUÁRIO 666
  2. «Prontuário 666 - Os anos de cárcere de Zé do Caixão». Consultado em 9 de fevereiro de 2016. Arquivado do original em 15 de fevereiro de 2016 
  3. «HQ antecipa novo filme de Zé do Caixão». Omelete. 16 de julho de 2008 
  Este artigo sobre um cineasta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.