Abrir menu principal

A Agência Geral das Colónias foi uma entidade do Estado Novo fundada em 30 de Setembro de 1924 dedicada à comunicação e divulgação do Império Colonial Português. Funcionou em complementaridade com o Secretariado Nacional de Informação.

A sua divisa era “conhecer” e “informar”, atuando na recolha e divulgação de dados estatísticos e de outras notícias de interesse aos governos central e coloniais.

Era responsável pela organização de grandes eventos publicitários, tais como a Exposição Industrial de Lisboa, a Conferência no Casino do Estoril, a "Semana das Colónias", as comemorações do 40.º aniversário da prisão de Gungunhana, as celebrações do dia de Mouzinho, a 28 de Dezembro de 1935, etc.

Inicialmente era composta pelas seguintes divisões:

  1. “Procuradoria” - serviços de representação jurídica e comercial dos governos e entidades coloniais;
  2. “Informação” - fornecimento de notícias aos jornais diários, tendo em conta informações recolhidas nos governos coloniais, nos boletins oficiais e nos periódicos;
  3. “Propaganda” - realização de publicidade da Agência.
  4. “Boletim, Publicações e Biblioteca” - edição do periódico difusor da problemática ultramarina, gestão da biblioteca, colecções de livros.

Com o Decreto n.º 38.300, que mudava a designação do ministério das Colónias, para o de Ultramar, a Agência passou a designar-se Agência Geral do Ultramar. A partir de 1957 passou a atuar também na divulgação turística das possessões tropicais[1].

Agentes-geraisEditar

Prémios de literatura colonialEditar

De forma a estimular o interesse dos intelectuais pelos assuntos tropicais foi criado um concurso literário, promovido de 1926 até 1951. Em 1954 criaram-se quatro prémios, dinamizados até 1974, nas seguintes categoriais: conto, a poesia, o romance e o teatro[2].

PremiadosEditar

(Primeira categoria)

Referências

  1. Garcia, Luís (sem data). A Agência Geral das Colónias/Ultaramar e a Propaganda do Estado Novo (1932-1974), A Cultura do Poder - A Propaganda nos Estados Autoritários, Universidade de Coimbra.
  2. Rodrigues, Flavia (2010). Narrativas da Dominação no concurso de literatura colonial da Agência Geral das Colónias (1926-1951), PUC-Rio.

Ligações externasEditar