Agrício de Tréveris

São Agrício, Agrício de Tréveris ou Agrício de Trier (c. 260 - c. 335) foi o primeiro bispo de Tréveris (Trier) documentado historicamente.

Agrício de Tréveris
Nascimento 260
Morte 13 de janeiro de 332
Tréveris
Cidadania Alemanha
Ocupação sacerdote
Religião Igreja Católica

ContextoEditar

Desde a reorganização das divisões do império por Diocleciano, Augusta dos Tréveros, atual Tréveris, era a capital de Bélgica Prima, a principal cidade da Gália, e frequentemente a residência dos imperadores. Havia cristãos entre sua população já no segundo século, e provavelmente já no terceiro século havia um bispo em Tréveris, que é a mais antiga sé episcopal da Alemanha. O primeiro bispo claramente autenticado é Agrício, que participou do Concílio de Arles de 314.[1]

HistóriaEditar

Pouco mais se sabe sobre Agrício. Existem histórias sobre ele, mas estas são baseadas em parte na dúbia Vita Helenae de Altmann, de cerca de 850.[2]

Agrício nasceu por volta do ano 260,[3] na Síria.[4]

Uma tradição do século XI afirma que ele havia sido um sacerdote de Antioquia e que foi transferido para a Sé de Tréveris pelo Papa Silvestre I a pedido da Imperatriz Helena. Esteve presente no Concílio de Arles em 314, onde assinou os atos imediatamente após o bispo presidente daquela diocese. Isso indicava que, pelo menos no século IV, Tréveris reivindicou a primazia da Gália e da Alemanha, uma reivindicação reforçada por seu sucessor São Maximino.[5] Esta história parece ter se desenvolvido a fim de promover a primazia de Tréveris sobre outras sedes na Gália e na Alemanha.[2] "São Agrício trabalhou zelosamente e com sucesso durante vinte anos na conversão da Gália e da Alemanha Ocidental".[4]

A tradição medieval remonta ao tempo de Agrício com a construção da primeira catedral de Tréveris, que se diz ter sido construída sobre o palácio da Imperatriz Helena, que ela cedeu para esse fim.[3]

A tradição medieval remonta ao tempo de Agrício com a construção da primeira catedral de Tréveris, que se diz ter sido construída sobre o palácio da Imperatriz Helena, que ela cedeu para esse fim.[6]

Santo Atanásio, exilado a Tréveris em 335 ou 336, fala do grande número de fiéis que ali encontrou e do número de igrejas em construção. As famosas relíquias de Tréveris, como o Prego da Vera Cruz e o corpo do Apóstolo Matias, são todos levados para lá por Agrício.[5]

Referências