Nota: Para outros significados, veja Alcáçova (desambiguação).

Uma alcáçova (do árabe: قصبة; romaniz.:al-qasbah; cidadela) é um tipo de fortaleza ou castelo de origem árabe ou moura.[1]

Alcáçova de Málaga, no sul da Espanha.

A alcáçova árabe tinha normalmente dois pátios, a níveis diferentes: o inferior muito grande, destinava-se a serviços menores e a acolher o povo com os seus gados, de onde lhe advinha o nome de albacar; o pátio superior albergava a mesquita para os serviços religiosos e o alcácer para os serviços administrativos e de chefia. O elemento artístico predominante era o arco em ferradura.[2]

As alcáçovas foram adaptadas e serviram de modelo aos castelos medievais ibéricos cristãos, onde, normalmente habitava o alcaide ou governador.

Ver também editar

Referências

Bibliografia editar

  • Gil, Júlio, Os Mais Belos Castelos de Portugal, Lisboa/São Paulo: Editorial Verbo, 1986.
  • Grave, João, Castelos Portugueses - Enciclopédia pela Imagem, Porto: Lello & Irmão Editores, s.d.
  • Kaufmann, J.E. (2001), The Medieval Fortresses: Castles, Forts And Walled Cities Of The Middle Ages (em inglês) 
  • Nunes, António Lopes Pires; Castelo Branco, uma Cidade Histórica, Almondina, 2002
  • Nunes, António Lopes Pires; 'Dicionário de Arquitectura Militar, Caleidoscópio, 2005
  • Nunes, António Lopes Pires, Os Castelos Templários da Beira Baixa, Almondina, 2005
  Este artigo sobre História da Península Ibérica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Alcáçovas