Alexander Ypsilantis

militar grego

Alexander Ypsilantis (no alfabeto grego: Αλέξανδρος Υψηλάντης) (Constantinopla, 12 de dezembro de 1792Viena, 31 de janeiro de 1828)[1] foi um herói da Guerra da Independência Grega em 1821.

Alexander Ypsilantis
Nascimento 12 de dezembro de 1792
Constantinopla
Morte 31 de janeiro de 1828 (35 anos)
Viena
Sepultamento Atenas
Cidadania Grécia
Progenitores
  • Constantine Ypsilantis
Irmão(s) Demetrios Ypsilantis, Nikolaos Ipsilantes, Georgios Ypsilantis, Aikaterini Ypsilanti
Ocupação militar
Prêmios
Lealdade Império Russo
Assinatura
Alexandros-ypsilantis-signature.svg

VidaEditar

Alexander Ypsilantis, da família fanariótica Ypsilantis e neto do voivoda da Valáquia com o mesmo nome, serviu como oficial no exército russo. Em 1820, após Ioannis Kapodistrias, Ministro do Czar, ter recusado anteriormente, ele assumiu a direção da organização até então sem cabeça Philiki Etaireia (sobre a "Sociedade da Amizade") para preparar e planejar a luta grega pela liberdade contra os turcos. No plano geral, traçado no mesmo ano, previa-se que a luta ocorreria inicialmente nas zonas a norte do Danúbio (Moldau e Valáquia) deve começar.[2][3][4][5]

O exército grego, no entanto, que consistia em apenas alguns voluntários, foi derrotado pelas forças otomanas em 19 de junho de 1821 perto de Drăgășani. Ypsilantis sobreviveu porque se retirou a tempo. A maioria dos insurgentes restantes forma mortos em 29 de junho de 1821 na Batalha de Sculeni. Ypsilantis foi detido pelas autoridades austríacas a caminho da Grécia e inicialmente detido no Castelo Munkács, então a partir de 1823 na Pequena Fortaleza em Theresienstadt. Em 1827 ele foi libertado do cativeiro e morreu um ano depois em Viena-Landstrasse; ele estava no Sankt Marxer Friedhof, onde uma placa o homenageia hoje.[2][3][4][5]

O cônsul geral grego real e empresário Georg Simon von Sina[6] encomendou a Teófilo Hansen um mausoléu para Ypsilantis no parque do Castelo Rappoltenkirchen perto de Sieghartskirchen. Seus ossos repousaram lá de 1906 a 1964. Hoje, os ossos de Ypsilantis repousam em Salonica.

Referências

  1. Die kleine Enzyklopädie. Encyclios-Verlag, Zürich 1950, Band 2, S. 950
  2. a b Polychronis Enepekides: Rigas – Ypsilantis – Kapodistrias (= Pige ke erefne peri tis istorias tou Ellinismou apo tou 1453, Band 2). Athen 1967 (griechisch)
  3. a b Peter Broucek: Alexander Ypsilantis Gefangenschaft in Österreich. In: Mitteilungen des Österreichischen Staatsarchivs. 17/18, 1964/65, ISSN 0078-3676, S. 550–559.
  4. a b Ilse Eichler: Erinnerung an Alexandros Ypsilantis und seinen Tod in Wien (ETEOKPHTIKA Supplement 2), Phoibos, Wien 2018, ISBN 978-3-85161-183-0
  5. a b Lulu Gräfin Thürheim: Mein Leben. Erinnerungen aus Österreichs grosser Welt 1788–1852. Aus dem Französischen, hrsg. von René van Rhyn. 4 Bände. G. Müller, München 1913 f. (archive.org)
  6. Constantin von Wurzbach: Sina, Georg Simon (sen.). In: Biographisches Lexikon des Kaiserthums Oesterreich. 34. Theil. Kaiserlich-königliche Hof- und Staatsdruckerei, Wien 1877, S. 351 (Digitalisat).
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Alexander Ypsilantis
  Este artigo sobre história ou um(a) historiador(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.