Abrir menu principal

Aliança Democrática (África do Sul)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Aliança Democrática, veja Aliança Democrática.
Aliança Democrática
Democratic Alliance
Presidente Mmusi Maimane
Fundação 1989 (Partido Democrático)
2000 (Aliança Democrática)
Sede Cidade do Cabo, África do Sul
Ideologia Liberalismo
Espectro político Centro
Ala jovem Democratic Alliance Youth
Afiliação internacional Internacional Liberal
www.da.org.za

A Aliança Democrática (em inglês: Democratic Alliance, DA ) é um partido político com ideologias liberais da África do Sul. É o principal opositor do partido do governo, o Congresso Nacional Africano. Nasceu da fusão do Partido Democrático com o Novo Partido Nacional em 2000.

Índice

HistóriaEditar

OrigensEditar

Apesar da Aliança Democrática ser um partido político bastante recente, tem apenas 8 anos, tem já uma longa vida de antecessores no que diz respeito à história da política na África do Sul, tendo sofrido várias coligações e separações ao longo desta.

O primeiro antecessor do agora partido da oposição sul-africana esteve activo durante 24 anos, entre 1910 e 1934. Chamava-se Partido Sul-Africano (South African Party) e ganhou as primeiras eleições na União Sul-Africana em 1910. Em 1934, o partido coligou-se com o Partido Nacional (National Party) passando a chamar-se Partido Unido (United Party). O novo partido tinha no seu meio elementos com ideologias políticas distintas, uns eram liberais e outros conservadores. O partido manteve-se activo até 1959, até que as diferenças no interior do grupo se sentiram, fazendo com que o Partido Unido se desintegrasse, dando origem a vários novos partidos políticos.

Foi nesse mesmo ano que surgiu um desses partidos, o Partido Progressista (Progressive Party), fruto da separação dos membros do Partido Unido. Este novo partido não concordava com a forma com que o seu antecessor lidava com as políticas do Apartheid implementadas pelo Partido Nacional (National Party). Nessa medida, o Partido Progressista enfatizou a necessidade de uma revisão constitucional, a criação de uma declaração dos direitos dos cidadãos, criar um órgão independente do poder legislativo responsável pela poder judicial e também uma nova postura do Governo perante o federalismo. Estas reformas tinha elas associadas uma economia de mercado livre. Em 1961, apenas Helen Suzman foi eleita no parlamento, e por isso, durante 13 anos foi a única deputada no parlamento sul-africano que se opunha à segregação e discriminação racial, num parlamento onde apenas "brancos" era permitidos. A partir de 1971, Colin Eglin passou a ser o líder do partido, sem que tivesse assento parlamentar. Contudo, em 1974, o partido conseguiu ganhar sete lugares para deputados.

Um ano após esse feito, em 1975, o Partido Progressista coligou-se com o Partido da Reforma (Reform Party) liderado por Harry Schwarz, também este um partido que tinha surgido da separação das várias alas do Partido Unido. O novo partido político passou a chamar-se Partido Progressista da Reforma (Progressive Reform Party).

Em 1977, dois anos depois da coligação dos dois partidos, alguns membros dissidentes do Partido Unido, que tinha formado o Comité para a Oposição Unida juntaram-se também eles ao Partido Progressista da Reforma, criando o Partido Progressista Federal (Progressive Federal Party). Frederik van Zyl Slabbert, líder do partido a partir de 1979, recusou um lugar no parlamento sul-africano em 1986, alegando que era, a seu ver, irrelevante. Mais tarde criou o Instituto para uma Alternativa Democrática para a África do Sul (Institute for a Democratic Alternative for South Africa). Foi sucedido por Colin Eglin, ex-líder do Partido Progressista. O partido foi considerado como a oposição parlamentar oficial pelo partido de extrema direita, Partido Conservador (Conservative Party) nas eleições parlamentares de 6 de Maio de 1987.

DemocraciaEditar

 
Mmusi Maimane, atual líder da Aliança Democrática.

Depois das eleições de 1987, o novo líder do partido, Zach de Beer, negociou uma coligação com outros dois partidos levando desta forma à criação do Partido Democrático (Democratic Party) em 1989. A nova coligação ganhou 36 deputados no parlamento nas eleições desse ano. O Partido Democrático teve um papel importante na negociação para a criação de uma constituição interina que defendesse os direitos e ideias progressistas que defendiam. Nas eleições de 1994, as primeiras após a abolição do Apartheid, o partido ganhou apenas 1.7% do total dos votos, o que representava 10 lugares no parlamento. A filha mais velha de Nelson Mandela, Makaziwe, e o irmão de F. W. De Klerk, Willem (co-fundador do partido)party) votaram pelo Partido Democrático nestas eleições.[1] Pouco depois das eleições, De Beer deu lugar a Tony Leon na presidência do partido. Este último defendia a salvaguarda dos direitos humanos de todos e o federalismo. O desempenho do partido melhorou bastante nas eleições de 1999, arrecadando 9,6% do total de votos, o que se converteu em 38 deputados eleitos. Nesta altura, o Partido Democrático substituiu o Novo Partido Nacional (New National Party) como oposição oficial ao Governo.

Em 2000, o Partido Democrático coligou-se com o Novo Partido Nacional dando origem à Aliança Democrática, o actual partido. Nas eleições de 2004 o partido obteve 12,4% dos votos, ou seja, 50 cadeiras parlamentares. É o segundo maior partido da África do Sul.

Resultados eleitoraisEditar

Eleições legislativasEditar

Data CI. Líder Votos % +/- Deputados +/- Status
1994 5.º Zach de Beer 338 426
1,7 / 100,0
7 / 400
Oposição
1999 2.º Tony Leon 1 527 337
9,6 / 100,0
 7,9
38 / 400
 31 Oposição
2004 2.º Tony Leon 1 931 201
12,4 / 100,0
 2,8
50 / 400
 12 Oposição
2009 2.º Helen Zille 2 945 829
16,7 / 100,0
 4,3
67 / 400
 17 Oposição
2014 2.º Helen Zille 4 091 584
22,2 / 100,0
 5,5
89 / 400
 22 Oposição
2019 2.º Mmusi Maimane 3 621 188
20,8 / 100,0
 1,4
84 / 400
 5 Oposição

Eleições regionaisEditar

Cabo OcidentalEditar

Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
1994 3.º 141 970
6,6 / 100,0
3 / 42
Oposição
1999 3.º 189 183
11,9 / 100,0
 5,3
5 / 42
 2 Oposição
2004 2.º 424 832
27,1 / 100,0
 15,1
12 / 42
 7 Oposição
2009 1.º 1 012 568
51,5 / 100,0
 24,4
22 / 42
 10 Governo
2014 1.º 1 259 645
59,4 / 100,0
 7,9
26 / 42
 4 Governo
2019 1.º 1 140 647
55,5 / 100,0
 3,9
24 / 42
 2 Governo

Cabo OrientalEditar

Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
1994 3.º 59 644
2,1 / 100,0
1 / 56
Oposição
1999 3.º 136 859
6,2 / 100,0
 4,1
4 / 63
 3 Oposição
2004 3.º 163 785
7,3 / 100,0
 1,1
5 / 63
 1 Oposição
2009 3.º 225 310
10,0 / 100,0
 2,7
6 / 63
 1 Oposição
2014 2.º 353 316
16,2 / 100,0
 6,2
10 / 63
 4 Oposição
2019 2.º 310 538
15,7 / 100,0
 0,5
10 / 63
  Oposição

Cabo SetentrionalEditar

Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
1994 4.º 7 567
1,9 / 100,0
1 / 30
Oposição
1999 3.º 15 632
4,8 / 100,0
 2,9
1 / 30
  Oposição
2004 2.º 35 297
11,1 / 100,0
 6,3
3 / 30
 2 Oposição
2009 3.º 50 817
12,6 / 100,0
 1,5
4 / 30
 1 Oposição
2014 2.º 100 916
23,9 / 100,0
 11,3
7 / 30
 3 Oposição
2019 2.º 101 198
25,5 / 100,0
 1,6
8 / 30
 1 Oposição

Estado LivreEditar

Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
1994 6.º 7 664
0,6 / 100,0
0 / 30
Extra-parlamentar
1999 2.º 58 163
5,3 / 100,0
 4,7
2 / 30
 2 Oposição
2004 2.º 85 714
8,5 / 100,0
 3,2
3 / 30
 1 Oposição
2009 3.º 119 844
11,6 / 100,0
 3,1
3 / 30
  Oposição
2014 2.º 164 672
16,2 / 100,0
 4,6
5 / 30
 2 Oposição
2019 2.º 155 694
17,6 / 100,0
 1,4
6 / 30
 1 Oposição

GautengEditar

Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
1994 4.º 223 548
5,3 / 100,0
5 / 86
Oposição
1999 2.º 658 236
18,0 / 100,0
 12,7
13 / 73
 8 Oposição
2004 2.º 708 081
20,8 / 100,0
 2,8
15 / 73
 2 Oposição
2009 2.º 908 016
21,9 / 100,0
 1,1
16 / 73
 1 Oposição
2014 2.º 1 349 001
30,8 / 100,0
 8,9
23 / 73
 7 Oposição
2019 2.º 1 185 743
27,5 / 100,0
 3,3
20 / 73
 3 Oposição

Kwazulu-NatalEditar

Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
1994 4.º 78 910
2,2 / 100,0
2 / 81
Oposição
1999 3.º 241 779
8,2 / 100,0
 6,0
7 / 80
 5 Oposição
2004 3.º 228 857
8,4 / 100,0
 0,2
7 / 80
  Oposição
2009 3.º 318 559
9,2 / 100,0
 0,8
7 / 80
  Oposição
2014 2.º 489 430
12,8 / 100,0
 3,6
10 / 80
 3 Oposição
2019 3.º 500 038
13,9 / 100,0
 1,1
11 / 80
 1 Oposição

LimpopoEditar

Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
1994 8.º 4 021
0,2 / 100,0
0 / 40
Extra-parlamentar
1999 4.º 23 486
1,4 / 100,0
 1,2
1 / 49
 1 Oposição
2004 2.º 57 930
3,6 / 100,0
 2,2
2 / 49
 1 Oposição
2009 3.º 51 856
3,5 / 100,0
 0,1
2 / 49
  Oposição
2014 3.º 94 724
6,5 / 100,0
 3,0
3 / 49
 1 Oposição
2019 3.º 78 360
5,4 / 100,0
 1,1
3 / 49
  Oposição

MpumalangaEditar

Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
1994 6.º 7 437
0,6 / 100,0
0 / 30
Extra-parlamentar
1999 2.º 50 421
4,5 / 100,0
 3,9
1 / 30
 1 Oposição
2004 2.º 77 119
6,9 / 100,0
 2,4
2 / 30
 1 Oposição
2009 2.º 97 204
7,5 / 100,0
 0,6
2 / 30
  Oposição
2014 2.º 138 990
10,4 / 100,0
 2,9
3 / 30
 1 Oposição
2019 3.º 118 915
9,8 / 100,0
 0,6
3 / 30
  Oposição

NoroesteEditar

Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
1994 5.º 7 894
0,5 / 100,0
0 / 30
Extra-parlamentar
1999 3.º 42 593
3,3 / 100,0
 2,8
1 / 33
 1 Oposição
2004 3.º 64 925
5,0 / 100,0
 1,7
2 / 33
 1 Oposição
2009 3.º 88 728
8,3 / 100,0
 3,3
3 / 33
 1 Oposição
2014 3.º 138 521
12,7 / 100,0
 4,4
4 / 33
 1 Oposição
2019 3.º 106 738
11,2 / 100,0
 1,5
4 / 33
  Oposição

Referências

  1. MEREDITH,Martin - Nelson Mandela: A Biography.

Ligações externasEditar