Aliança do Movimento de Libertação da Dominica

A Aliança do Movimento de Libertação da Dominica (em inglês: Dominica Liberation Movement Alliance, DLMA ou DLM) foi um partido político na Dominica. Concorreu às eleições de 1980, recebendo 8,4% dos votos mas sem eleger nenhum deputado.[5] Não concorreu a mais nenhuma eleição,[6] e em 1985 integrou-se no Partido Trabalhista da Dominica.[7][8]

Aliança do Movimento de Libertação da Dominica
Dominica Liberation Movement Alliance
Work For All Bread For All[1]
(Trabalho para Todos, Pão para Todos)
Líder Atherton Martin
Secretário-geral Bill Riviere[2]
Fundador Lloyd Pascal, Rosie Douglas, Athie Martin, W. Wallace, Pierre Charles, Hilroy Castor, Bernard Wiltshire, Michael Douglas, J. Joseph, Bill Riviere
Fundação 30 de maio de 1979 (aliança)
1980 (partido unificado)
Dissolução 1985
Espetro político Esquerda radical[3]
Publicação Alliance[4]
Antecessor Comité da Independência Popular
Partido Democrático Popular
Aliança Democrática da Dominica
Vanguarda do Povo Trabalhador
Fusão Partido Trabalhista da Dominica
País Dominica
Política da Dominica

Partidos políticos

Eleições

HistóriaEditar

AntecedentesEditar

O Partido Trabalhista da Dominica (DLP) venceu as eleições de 1961, vindo a governar o país até 1979.[9] Em 1974 Patrick John tornou-se primeiro-ministro, com uma política de "lei e ordem" (nomeadamente contra os dreads, uma fação radical do movimento rastafariano), enquanto tentava equilibrar a economia da ilha estabelecendo polémicos acordos de investimentos com empresários estrangeiros, frequentemente de reputação duvidosa.[10] Em 1978, a Dominica tornou-se plenamente independente do Reino Unido.[11]

Nesse contexto, começaram a desenvolver-se movimentos à esquerda do DLP:

  • o Comité da Independência Popular (PIC), dirigido por Roosevelt "Rosie" Douglas, inicialmente tendo como principal objetivo a independência, com um caminho socialista para o desenvolvimento; o PIC estabeleceu vastas ligações a movimentos sociais, como associações de estudantes, cooperativas e organizações de agricultores[12]
  • o Partido Democrático Popular (PDP), dirigido por Bill Riviere, com mais implantação em zonas rurais e em Portsmouth (onde chegou a eleger um representante para o conselho local), surgido a partido do Movimento para uma Nova Dominica[12] (uma organização criada em 1972 inspirada no Black Power).[13][14]
  • a Aliança Democrática da Dominica (DDA), inicialmente Partido da Nova Aliança, fundado por Michael Douglas (irmão de Rosie Douglas), anteriormente do DLP e ministro de 1975 a 1978, mas demitido por Patrick John acusado de "comunismo"[15]

Em 1979, o descontentamento com o governo levou este a introduzir leis limitando a atividade dos sindicatos e a liberdade de imprensa; a 29 de maio, quando essas propostas iam ser votadas no parlamento, uma manifestação contrária junto à assembleia degenerou em violentos confrontos com a polícia,[11] e as autoridades largamente perderam o controlo da ilha.[16]

A Aliança do Movimento de Libertação da DominicaEditar

A 30 de maio, no dia a seguir à revolta, o PIC de Rosie Douglas, o PDP de Riviere, a DDA de Michael Douglas e a Vanguarda do Povo Trabalhador (WPV, uma dissidência do PIC) de Bernard Wiltshire, estabeleceram o Movimento de Libertação da Domincia, com uma direção nacional composta por Lloyd Pascal e Rosie Douglas do PIC, Athie Martin and W. Wallace do PDP, Pierre Charles e Hilroy Castor da WPV e Michael Douglas e J. Joseph da DDA.[17]

A Dominica estava numa situação pré-revolucionária (e algumas semanas antes o governo de Granada tenha sido derrubado pela insurreição do Movimento New Jewel,[18] com o qual a DLMA tinha ligações)[19] e grande parte do país estava a ser controlado por grupos revolucionários, afetos, uns à DLMA, e outros ao Partido da Liberdade da Dominica (DFP), conservador.[20]

Em junho, largamente por inspiração de Rosie Douglas, foi formado um Comité de Salvação Nacional, agrupando sindicatos, associações empresariais, organizações de jovens, partidos oposicionistas de esquerda e de direita, etc., que deu um prazo até 13 de junho para o governo se demitir.[21] A 20 de junho, finalmente o governo de John cai sendo substituido pelo trabalhista dissidente Oliver Seraphine, num executivo com representantes das várias forças políticas e fundamentalmente sobre a supervisão do Comité de Salvação Nacional; Michael Douglas tornou-se ministro das finanças, Athie Martin ministro da agricultura. Rosie Douglas e Pierre Charles foram nomeados senadores (embora R. Douglas tenha pouco depois sido destituído).[22]

Em julho de 1980, realizaram-se eleições,[23] mas antes disso a DDA e o PIC abandonaram a DLMA e juntaram-se ao Partido Trabalhista Democrático de Seraphine; a DLMA ficou reduzido ao PDP e à WPV, que se fundiram numa estrutura unitária, liderada por Atherton Martin.[24] A DLMA teve 2.575 votos (8,42%), não tendo eleito nenhum deputado.[5][25]

O fim da DLMAEditar

Em 1985, a DLMA e o Partido Trabalhista Unido de Dominica (liderado por Michael Douglas) integraram-se no Partido Trabalhista de Dominica.[7]

Michael Douglas, Rosie Douglas e Pierre Charles vieram a tornar-se lideres do Partido Trabalhista (em 1986, 1992 e 2000, respeitvamente), tendo Rosie Douglas e Charles sido também primeiros-ministros (em 2000 e de 2000 a 2004, respetivamente), e todos faleceram no exercício dos cargos.[7][26]

Bill Riviere em 2016 abandonou o Partido Trabalhista para criar o Movimento Democrático Popular.[7]

Referências

  1. «FLASHBACK: A look at a 1980 manifesto». Dominica Vibes News (em inglês). 21 de novembro de 2014. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  2. «Martin off to U.S.» (PDF). DMLA. Alliance (em inglês). 2 (2): 4. 20 de setembro de 1980. Consultado em 23 de agosto de 2020 
  3. Mars, Perry (1998). Ideology and Change: The Transformation of the Caribbean Left. Col: African American life series (em inglês). Detroit: Wayne State University Press. p. 53. ISBN 9780814327692. Consultado em 27 de julho de 2020 
  4. «Alliance». SPAT Memory Project (em inglês). Consultado em 21 de agosto de 2020 
  5. a b Nohlen, Dieter (2005). Elections in the Americas: A data handbook, Volume I (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press. pp. 223–234. ISBN 978-0-19-928357-6 
  6. Nohlen 2005, p. 231
  7. a b c d Tom Lansford, ed. (2012). Political Handbook of the World 2012 (em inglês). [S.l.]: SAGE Publications / CQ Press. p. 401. ISBN 9781608719952. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  8. Martin 1989, p. 286
  9. Martin 1989, pp. 283-285
  10. Martin 1989, p. 284
  11. a b Martin 1989, p. 267
  12. a b Christian, pp. 5-6
  13. «Beginning of the Movement - History of the Rastafarians». DomFari (em inglês). Consultado em 21 de agosto de 2020 
  14. «Justice Dr Irving W Andre will launch his latest biography, 'The Rise & Fall of Patrick John', at the UWI Open Campus in Roseau on Friday». Q95F.M. (em inglês). 28 de março de 2019. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  15. Gunson, Phil; Chamberlain, Greg; Thompson, Andrew (2015) [1991]. «Douglas (Michael)». The Dictionary of Contemporary Politics of Central America and the Caribbean (em inglês). Routledge. p. 116. 397 páginas. ISBN 978-1-315-63827-0. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  16. Christian, pp. 30-31
  17. Christian, pp. 31-32
  18. Christian, p. 29
  19. Maingot, Anthony P. (2018) [1986]. «Granada and the Caribbean: Mutal Linkages and Influences». In: Valenta, Jiri; Ellison, Herbert J. Grenada And Soviet/Cuban Policy: Internal Crisis And U.S./OECS Intervention (em inglês). [S.l.]: Routledge. p. 142. ISBN 9780429717963 
  20. Christian, pp. 35-39
  21. Christian, p. 33
  22. Gunson, Phil; Chamberlain, Greg; Thompson, Andrew (2015) [1991]. «Douglas (Rosiel)». The Dictionary of Contemporary Politics of Central America and the Caribbean (em inglês). Routledge. p. 117. 397 páginas. ISBN 978-1-315-63827-0. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  23. Martin 1989, p. 285
  24. Riviere, William P. (1 de novembro de 2014). «Major Events in our Constitutional Development – Part 5». The Sun (Dominica) (em inglês). Consultado em 21 de agosto de 2020 
  25. «Dominica General Election Results 1980». Caribbean Elections (em inglês). Consultado em 21 de agosto de 2020 
  26. «When Prime Minister Pierre Charles died». The Sun (Dominica) (em inglês). 7 de junho de 2017. Consultado em 21 de agosto de 2020 

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar

  • «Alliance» (em inglês). números da revista da DMLA de outubro de 1980 a dezembro de 1984