Alma (restaurante)

O Alma é um restaurante português avaliado com duas estrelas[1] Michelin, localiza-se no Chiado, em Lisboa, e é comandado pelo chef Henrique Sá Pessoa.

Salão principal do restaurante Alma, no Chiado, Lisboa.

CaraterísticasEditar

Localizado no bairro do Chiado, na capital portuguesa Lisboa, o Alma é um restaurante do género fine dining, a apresentar uma cozinha autoral. Além disso, segundo informações da administração, o restaurante 'pretende ser um espaço inovador, não apenas no que respeita às abordagens que propõe, como ao simplificar e quebrar algumas regras básicas do serviço, o qual é rigoroso mas ao mesmo tempo descontraído'.[2]

Para o chef da casa, Henrique Sá Pessoa, 'há apenas a boa cozinha e a má cozinha'. A sua, ele a define como sendo uma cozinha que visa 'gosto refinado, técnica perfeita e produto excelente' (SIC). A base da filosofia gastronómica do chef está nas influências que sofreu por meio das suas viagens pelo mundo e na cozinha tradicional portuguesa.[3]

Outra caraterística do restaurante é o seu foco nos pratos à base de peixes e mariscos da costa portuguesa, oferecendo assim, diversos experimentos com os sabores da costa lusitana, ao levar para a mesa a água do mar e espécies sustentáveis. Além disso, o "menu degustação" do Alma traz uma nova interpretação a alguns dos sabores mais tradicionais de Portugal e opções à la carte, as quais possibilitam ao cliente o desenhar do seu próprio cardápio.

HistóriaEditar

No ano de 2009, Henrique Sá Pessoa abria o restaurante Alma, em Santos, o seu primeiro projeto em nome próprio, após já ter chefiado as cozinhas dos hotéis Panorama (Sheraton) e Flores (Bairro Alto Hotel), ambos hotéis cinco estrelas de Lisboa. Naquela altura, já havia sido eleito Chefe Cozinheiro do Ano em 2005 e tinha apresentado, na RTP2, o programa de televisão Entre Pratos — a posteriormente outro do mesmo género, o Ingrediente Secreto.

Essa primeira fase do Alma, que funcionou de 2009 a 2013, apesar da qualidade, não conseguiu o sucesso desejado no mundo da alta gastronomia europeia. Em entrevista ao Observador, o chef Sá confessa que tinha a sensação de que seu restaurante nunca tinha chegado a atingir todo o seu potencial, de acordo com ele: “Houve duas razões principais para o Alma ter estagnado: o espaço físico, que não permitia fazer mais, e a responsabilidade da gestão, que me tirava tempo para tudo o resto."[4]

Essa história mudou quando Sá Pessoa decidiu fechar o Alma e reabri-lo no Chiado, num ambiente muito maior que o anterior, para que fosse, finalmente, possível que o seu restaurante figurasse entre os principais restaurantes da Europa. O resulto das drásticas ações tomadas por Sá Pessoa não demoraram aparecer. Depois de muitos atrasos na obra, o novo Alma foi reaberto em 2015. Logo no ano seguinte à reabertura, já em novo endereço, o restaurante fora premiado com a sua primeira estrela Michelin[5] e em 2018, o Alma conquistou a segunda estrela.[6].

Referências

  1. «Alma – Lisboa – um Restaurante do Guia MICHELIN». MICHELIN Guide. Consultado em 31 de maio de 2020 
  2. «Cozinha - Alma - Henrique Sá Pessoa - 2 Estrelas Michelin». www.almalisboa.pt. Consultado em 31 de maio de 2020 
  3. Vidal, Leo (29 de maio de 2019). «ALMA: a gastronomia de Henrique Sá Pessoa em Lisboa». Panorama de Viagem. Consultado em 1 de junho de 2020 
  4. Pais, Tiago. «Foi preciso ter (c)alma: Henrique Sá Pessoa está de volta à alta cozinha». Observador. Consultado em 31 de maio de 2020 
  5. Pais, Tiago. «Guia Michelin. Portugal chega às 26 estrelas (não foi "bombástico", mas foi bem bom)». Observador. Consultado em 31 de maio de 2020 
  6. «ALMA: A segunda Estrela Michelin de Henrique Sá Pessoa veio para ficar!». Notícias ao Minuto. 21 de novembro de 2019. Consultado em 31 de maio de 2020