Abrir menu principal
Dois rostos de uma mesma mulher, em perfil, virados em sentidos opostos, um deles submerso em água e gritando
Representação artística usada para compreensão do conceito de alter ego

Alter ego (do latim alter: outro; ego: 'eu') é uma locução substantiva latina, cujo significado literal é 'outro eu'.

Cícero cunhou o termo como parte de seu discurso filosófico, no século I. Ele descrevia o alter ego como um amigo ou alguém próximo, em quem se deposita total confiança,[1] um substituto perfeito.

Em psicologia, uma pessoa dotada de alter ego é alguém que leva uma vida dupla. O termo passou a ser comumente usado no século XIX quando o transtorno dissociativo de identidade foi descrito por psicólogos.[2]

Na literatura, alter ego é um personagem usado intencionalmente pelo autor para apresentar suas próprias ideias. Na literatura brasileira, a personagem Emília, do Sítio do Picapau Amarelo, é considerada por alguns críticos como o alter ego do escritor Monteiro Lobato. O personagem Sérgio, de O Ateneu, de Raul Pompeia, também é considerado como sendo o alter ego do escritor, já que ambos, autor e personagem, foram internados pelos pais em um colégio com características semelhantes.

Nas histórias em quadrinhos, em que um super-herói é a identidade secreta de outro personagem, este último funciona como o seu alter ego.

Referências

  1. «Alter Ego». Collins English Dictionary - Complete and Unabridged 10th Edition. William Collins Sons & Co. Ltd. 2009. Consultado em 13 de janeiro de 2013 
  2. Irving B. Weiner, Donald K. Freedheim (2003). Handbook of Psychology. [S.l.]: John Wiley and Sons. p. 262. ISBN 0-471-17669-9 

Ver tambémEditar


  Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  Este artigo sobre psicanálise é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.