Américo-canadianos

Américo-canadianos ou américo-canadenses são cidadãos americanos que nasceram e/ou cresceram no Canadá, mas depois se mudaram para os Estados Unidos. O termo também pode ser usado para se referir a cidadãos nascidos nos Estados Unidos que têm pais que imigraram para o Canadá ou que tenham significativa ascendência canadense e/ou identidade. O termo é particularmente adequado quando aplicado para pessoas com fortes laços com o Canadá, tais como aqueles que viveram uma parte significativa de suas vidas ou foram educados no Canadá e, em seguida, se mudaram para os Estados Unidos. Para outros, especialmente para os que vivem em Nova Inglaterra ou no centro-oeste, um américo-canadiano é aquele cujos ancestrais vieram do Canadá.[1]

Estados Unidos Américo-canadianos Canadá
População total

1.062.640
0,33% da população americana

Regiões com população significativa
Região nordeste e centro-oeste dos Estados Unidos
Línguas
InglêsFrancês
Religiões
Catolicismo RomanoProtestantismoSem religião

O termo canadense refere-se algumas vezes a nacionalidade e outras a etnia. Imigrantes canadenses que falam inglês podem se integrar e assimilar facilmente a cultura americana como um resultado de semelhanças culturais, vocabulares e no sotaque do inglês falado.[2] Franco-canadianos, por causa do idioma e cultura, tendem a levar mais tempo para se familiarizarem.[3] No entanto, já na 3ª geração a assimilação é completa.[4] A imigração de franco-canadianos ocorreu entre 1840 e 1930, quando metade da população da província de Quebec, no Canadá, emigrou para os Estados Unidos,[5] fazendo com que muitas cidades da Nova Inglaterra fossem formadas por canadenses, porém nos últimos anos muitos têm gradualmente "desaparecido".

Esta "invisibilidade" cultural dentro de uma das maiores populações dos Estados Unidos é visto como uma forte afinidade entre os canadenses e americanos.[6] De acordo com o Censo dos Estados Unidos, estima-se que o número de americanos de ascendência canadense foi de cerca de 640.000 no ano de 2000.[7] Outras fontes indicam que existem, possivelmente, mais de 1.000.000 de descendentes de canadenses.[8]

Alguns canadenses que viajam para os EUA para escapar de seus invernos mais intensos possuem residências no sul dos Estados Unidos em estados como Flórida, Carolina do Norte, Geórgia, sul do Texas, sul da Califórnia e Arizona.[9]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Mark Paul Richard, "From 'Canadien' to American: The Acculturation of French-Canadian Descendants in Lewiston, Maine, 1860 to the Present", PhD dissertation Duke U. 2002; Dissertation Abstracts International, 2002 62(10): 3540-A. DA3031009, 583p.
  2. «Veta: Good vocabulary - Accent training online - American Accent». veta.in 
  3. l’Actualité économique, Vol. 59, No 3, (september 1983): 423-453 and Yolande LAVOIE, L’Émigration des Québécois aux États-Unis de 1840 à 1930, Québec, Conseil de la langue française, 1979.
  4. Harvard encyclopedia of American ethnic groups,Stephan Thernstorm, Harvard College, 1980, p 392
  5. l’Actualité économique, Vol. 59, No 3, (september 1983): 423–453 and Yolande LAVOIE, L’Émigration des Québécois aux États-Unis de 1840 à 1930, Québec, Conseil de la langue française, 1979.
  6. «Program No. 65 "Who's Canadian"». This American Life. Chicago Public Radio. 30 de maio de 1997 
  7. «c2kbr01-2.qxd» (PDF). Consultado em 18 de maio de 2011 
  8. Stewart, Alice R. (1987), «The Franco-Americans of Maine: A Historiographical Essay», Maine Historical Society Quarterly, 26 (3): 160–179 
  9. «Snowbird RV Parks». Rvthereyet.cc. Consultado em 18 de maio de 2011. Arquivado do original em 6 de julho de 2011 

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar