Amanislo

34º Rei de Cuxe

Amanislo (nome de Sá-Ré:Imn-isl) [1] foi o 34º rei da Dinastia Napata do Reino de Cuxe, acredita-se que tenha reinado em meados do século III a.C [2]

Amanislo

<
imn
n
mris
r
wA
>
34º Rei da Dinastia Napata
do Reino de Cuxe
Representação de Amanislo, na estátua de leão de granito de Amenophis III
Reinado em meados do século III a.C
Antecessor(a) Arcamani I
Sucessor(a) Amanteca
Sepultado em Beg.S 5

EvidênciasEditar

Existem duas evidências arqueológicas do reinado de Amanislo. A primeira é seu selo com seu nome de Sá-Ré gravado na estátua de leão de granito de Amenófis III. Esse leão foi transferido de Soleb para Jebel Barcal. Outra inscrição foi encontrada no Cemitério Begarawiya Sul , mais precisamente na capela de culto mortuário do Beg.S. 5, paredes N e S.[1]

A filiação de Amanislo e as relações familiares são desconhecidas. Especulou-se que o dono da Beg.S. 4, Kanarta que leva o título de "Mãe do Faraó", era a esposa de Arcamani I e mãe de Amanislo. [3] [4] Se isso estiver correto, o Ano 20 + X em uma inscrição bem danificada na parede N da capela do culto funerário de Kanarta pode se referir ao ano de reinado de Amanislo em que sua mãe foi enterrada. Seu lugar depois de Arcamani I na cronologia relativa dos governantes de Cuxe foi sugerida com base na localização de seu túmulo piramidal em Beg.S. 5 no Cemitério Begarawiya Sul. [5] Se de fato ele reinou por mais de vinte anos, Amanislo pode, hipoteticamente, ter governado em meados do século III a.C.[1]

Precedido por
Arcamani I
34º Rei da Dinastia Napata
do Reino de Cuxe

em meados do século III a.C
Sucedido por
Amanteca


Referências

  1. a b c Eide, Tormod (1994). Fontes Historiae Nubiorum:. Volume II: From the mid-fifth to the first century BC (em inglês). [S.l.]: University of Bergen, Department of Classics. 567 páginas 
  2. Török, László (2015). The Kingdom of Kush:. Handbook of the Napatan-Meroitic Civilization (em inglês). [S.l.]: BRILL. p. 203 
  3. D. Dunham (1957) Royal Tombs at Meroe and Barkal. Boston. p. 9
  4. I. Hofmann (1978) Wege und Möglichkeiten eines indischen Einflusses auf die meroitische Kultur. St. Augustin bei Bonn, p. 43
  5. Dunham (1957) Royal Tombs ... p. 37