Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Amitis, veja Amitis.
Amitis

Amitis, segundo Ctésias, foi uma filha de Astíages e esposa de Ciro, o Grande. Pelo texto de Ctésias preservado em epítome por Fócio, pode-se inferir que Amitis foi a mãe de Cambises e seu irmão, que seria assassinado e substituído pelo mago.[1] Na versão de Heródoto, a mãe de Cambises seria Cassandana, filha do persa Farnaspes,[2] ou Nitetis,[3] filha do faraó Apriés.[4]

De acordo com o historiador Richard Edmund Tyrwhitt, Amitis seria neta, e não filha, de Astíages, pois Ctésias costumava confundir filhos com netos.[5]

Primeiro casamentoEditar

De acordo com Ctésias de Cnido, no texto preservado pela epítome do patricarca Fócio, Amitis, filha de Astíages, foi casada com Espistamenes.[6] Fócio observa que Ctésias difere de Heródoto, pois enquanto em Heródoto Ciro é parente de Astíages,[Nota 1] em Ctésias os dois não são parentes de sangue.[6] Ela teve dois filhos com Espistamenes, Spitaces e Megabernes.[6]

Segundo casamentoEditar

Quando Ciro, o Grande derrotou os medos, Astíages fugiu de Ecbátana e se escondeu, sendo ajudado por Amitis e Espistamenes; Ciro então ordenou que Espistamenes, Amitis e seus dois filhos fossem torturados por ajudar Astíages, que se entregou para poupar os netos.[6]

Astíages foi aprisionado e levado em correntes por Oebares, mas logo em seguida foi solto por Ciro e tratado como seu pai, e Amitis foi tratada por Ciro como sua mãe, porém ele a tomou por esposa.[6] Espistamenes, porém, foi executado, porque havia dito que não sabia onde estava Astíages.[6]

Durante a guerra contra os Sacae, Ciro capturou seu rei Amorges; a esposa do rei, Sparethra, trouxe um exército de 300.000 homens e 200.000 mulheres e derrotou Ciro, capturando Parmises, irmão de Amitis, junto com seus três filhos, que foram trocados por Amorges.[7]

Quando Ciro enviou o eunuco Petisacas para trazer Astíages, que estava com os barcanians, Oebaras aconselhou Petisacas a deixar Astíages no caminho, para que ele morresse de fome e sede.[8] O crime foi revelado através de um sonho, e Ciro, a pedido de Amitis, executou Petisacas, primeiro arrancando seus olhos, depois sendo chicoteado e finalmente sendo crucificado.[8] Oebaras, para não sofrer o mesmo destino, matou-se ao ficar dez dias em jejum.[8]

Viúva de CiroEditar

Ciro, pouco antes de morrer, nomeou seu filho Cambises como herdeiro e outro filho, Tanyoxarces, como governador da Báctria.[9] Os filhos de Amitis com Espistamentes também receberam satrapias; Spitaces foi nomeado sátrapa dos dérbices e Megabernes dos barcarians, com ordens de obedecer à sua mãe.[9]

Quando o mago Sphendadates começou a conspirar contra Tanyoxarces, Amitis, mãe de Cambises, avisou o filho para não confiar no mago, mas Cambises resolveu matar o irmão.[10]

Cinco anos após Cambises haver assassinado Tanyoxarces e substituído pelo mago Sphendadates, Amitis descobriu a trama através do eunuco Tibethis; após exigir que Cambises a entregasse Sphendadates, e ter este pedido recusado, ela suicidou-se por injestão de veneno.[1]

O falso Tanyoxarces,[Nota 2] após a morte de Cambises, assumiu o trono da Pérsia, como se fosse o irmão do rei,[11] até ser deposto pelos sete persas, nos eventos que levaram à ascensão de Dario I.[12]

Possíveis descendentesEditar

Amitis, de acordo com Ctésias, foi provavelmente a mãe de Cambises II e de Tanyoxarces.[1]

Na epítome de Fócio, uma outra Amitis, a filha de Xerxes, é citada como tendo uma avó de nome Amitis.[13] Baseando-se neste dado (e considerando que Ctésias confunde filhos com netos, Amitis seria a avó de Xerxes), Tyrwhitt também inclui Atossa, filha de Ciro, esposa de Dario e mãe de Xerxes, como filha de Amitis.[5]

Notas e referências

Notas

  1. Ciro é neto de Astíages, através de sua filha Mandane.
  2. Mais conhecido pelo nome usado em Heródoto: Esmérdis

Referências

  1. a b c Ctésias de Cnido, Pérsica, texto em epítome por Fócio, Biblioteca de Fócio, 13
  2. Heródoto, Histórias, Livro III, Tália, 2 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  3. Heródoto, Histórias, Livro III, Tália, 1 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  4. Heródoto, Histórias, Livro III, Tália, 3 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  5. a b Richard Edmund Tyrwhitt, Esther and Ahasuerus: an identification of the persons so named ; followed by a history of the thirty-five years that ended at their marriage, with notes and an index to the two parts: also an appendix (1868) The first part: the Esther and Ahasuerus of the Hebrews sought for and identified in persian history, Chapter VI, IV. [em linha]
  6. a b c d e f Ctésias de Cnido, Pérsica, texto em epítome por Fócio, Biblioteca de Fócio, 1 [em linha]
  7. Ctésias de Cnido, Pérsica, texto em epítome por Fócio, Biblioteca de Fócio, 3
  8. a b c Ctésias de Cnido, Pérsica, texto em epítome por Fócio, Biblioteca de Fócio, 6
  9. a b Ctésias de Cnido, Pérsica, texto em epítome por Fócio, Biblioteca de Fócio, 8
  10. Ctésias de Cnido, Pérsica, texto em epítome por Fócio, Biblioteca de Fócio, 11
  11. Ctésias de Cnido, Pérsica, texto em epítome por Fócio, Biblioteca de Fócio, 15
  12. [[Ctésias de Cnido]], Pérsica, texto em epítome por Fócio, Biblioteca de Fócio, 16
  13. Ctésias de Cnido, Pérsica, texto em epítome por Fócio, Biblioteca de Fócio, 24