Abrir menu principal

Amor Maldito é um filme brasileiro de 1984, dirigido por Adélia Sampaio. É o primeiro longa-metragem dirigido por uma mulher negra na história do cinema brasileiro[1].

Por causa do seu tema polêmico, foi rejeitado pela Embrafilme e pelo circuito exibidor. Entrou em cartaz em apenas oito cinemas de São Paulo, e ainda assim foi preciso que a cineasta aceitasse lançá-lo como uma pornochanchada[2].

SinopseEditar

Baseado numa história real, o filme mostra a relação amorosa entre a executiva Fernanda (Monique Lafond) e a ex-miss Sueli (Wilma Dias). Reprimida pela sua família evangélica e conservadora, Sueli comete suicídio. Fernanda é acusada de responsável pela morte da companheira e julgada por um tribunal preconceituoso[3].

Ficha técnicaEditar

  • Produção: João Elias e Adélia Sampaio
  • Direção de produção: Eliana Maria e Cláudia Ferreira
  • Produtor associado: Edy Lima, Antonio Eckart, Francisco Damasio e José Medeiros
  • Coordenação de produção: Eliana Cobbett
  • Argumento: Adélia Sampaio
  • Roteiro: José Louzeiro
  • Direção: Adélia Sampaio
  • Direção de fotografia: Paulo Cesar Mauro
  • Montagem: Eduardo Leone
  • Cenografia: Dudu Continentino
  • Música: Antonio Perna Fróes

ElencoEditar

Referências

  1. Adélia Sampaio, cineasta negra pioneira, debate “Amor Maldito” na UnB. Metrópoles, 10 de abril de 2017
  2. A saga de uma mulher negra com o cinema. Revista Trip, 7 de julho de 2017
  3. Amor Maldito. Cachoeira Doc
  4. Amor Maldito. Cinemateca Brasileira

Ligações externasEditar