Amostragem (medicina)

Frascos para coleta de amostras médicas.

Em medicina, amostragem é a coleta de material do corpo para auxiliar no processo de um diagnóstico médico e/ou avaliação de uma indicação para tratamento, exames médicos adicionais ou outros procedimentos.[1][2][3] Nesse sentido, a amostra é o material o coletado e a ferramenta de amostragem ou amostrador é a pessoa ou material (equipamento, recipientes) para coletar a amostra.

A amostragem é um pré-requisito para muitos exames médicos, mas geralmente não para histórico médico, exame físico e exames radiológicos.

Por técnica de amostragemEditar

  • Obter excreções ou materiais que saem do corpo de qualquer maneira, como urina, fezes, sputum (escarro), ou vômito, por coleta direta quando eles saem. Uma amostra de saliva também pode ser coletada da boca.
  • Excisão (corte), um método comum para a remoção de amostras de tecidos sólidos ou moles.
  • A punção (também chamada de centese) seguida da aspiração é o principal método usado para amostrar muitos tipos de tecidos e fluidos corporais. Exemplos são toracocentese para amostra de fluido pleural, e amniocentese para amostrar fluido amniótico. O principal método de centese, por sua vez, é punção aspirativa por agulha fina, mas também existem agulhas de design um tanto diferente, como para aspiração de medula óssea. A punção sem aspiração pode ser suficiente, por exemplo, coleta de sangue capilar.
  • Raspagem ou esfregaço. Em um teste de Papanicolau, as células são raspadas de um colo uterino com uma espátula e escova especiais ou um dispositivo especial para varredura inserido através da vagina sem a necessidade de perfurar nenhum tecido. As células epiteliais para os testes de DNA podem ser obtidas passando um cotonete no interior de uma bochecha na boca.

Biópsia ou citopatologiaEditar

Em termos de técnica de amostragem, uma biópsia geralmente se refere a uma preparação em que a estrutura normal do tecido é preservada, valendo-se para o exame de células individuais e sua organização para o estudo da histologia, enquanto uma amostra para citopatologia é preparada principalmente para o exame de células individuais, não necessariamente preservando a estrutura do tecido. Exemplos de procedimentos de biópsia são biópsia da medula óssea, biópsia cerebral, biópsia cutânea e biópsia hepática.

Referências

  1. Alexandre Costa Guimarães, Marilei Wolfart , Maria Luiza Leão Brisolara , Caroline Dani. O LABORATÓRIO CLÍNICO E OS ERROS PRÉ-ANALÍTICOS - ARTIGO DE REVISÃO. Rev HCPA 2011;31(1):66-72
  2. Nairo Massakazu Sumita, Adagmar Andriolo, Wilson Shcolnik, Gustavo Aguiar Campana, Fábio Vasconcellos Brazão, Carlos Alberto Mayora Aita ,Guilherme Ferreira de Oliveira, Carlos Eduardo dos Santos Ferreira, César Alex de Oliveira Galoro, Maria Elizabete Mendes. Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica - Medicina Laboratorial (SBPC/ML) Fatores pré-analíticos e interferentes em ensaios laboratoriais. Editora Manole Ltda, 2018.
  3. Coleta de materiais biológicos – Subunidade de Patologia Clínica da Unidade de Laboratório de Análises Clínicas e Anatomia Patológica do HC-UFTM, 2018.