Ana Romana de Aragão Calmon

Ana Romana de Aragão Calmon, primeira baronesa e condessa de Itapajipe (Bahia, 9 de agosto de 1784Rio de Janeiro, 10 de novembro de 1862), foi uma nobre que exerceu diversas funções palacianas, como de dama do paço, de camareira-mor da imperatriz e de dama camarista da princesa imperial do Brasil. Acompanhou a futura D. Maria II de Portugal em sua viagem a Portugal.

Ana Romana de Aragão
condessa de Itapajipe
Cônjuge Francisco Xavier Cabral
Descendência Francisco Xavier Cabral
Maria Leonor Cabral
Maria Francisca de Aragão
Nome completo Ana Romana de Aragão Calmon
Nascimento 9 de agosto de 1784
  Salvador, Bahia
Morte 10 de novembro de 1862 (78 anos)
  Rio de Janeiro
Pai José Góis de Sequeira
Mãe Luisa Antonia Calmon du Pin e Almeida

BiografíaEditar

Filha de José Góis de Sequeira e Luisa Antonia Calmon du Pin e Almeida. Casou-se em 5 de novembro de 1800, na Capela de São Gonçalo do Camoroji, Salvador, com o fidalgo Francisco Xavier da Silva Cabral, conselheiro e desembargador do reino de Portugal.

DescendênciaEditar

Foram pais de;

  1. Francisco Xavier Cabral da Silva, 2° barão com grandeza de Itapajipe.
  2. Maria Leonor Cabral de Aragão Calmon, casada com João de Campos Navarro de Andrade, primeiro barão de Sande.
  3. Maria Francisca de Aragão Calmon da Silva Cabral, casada com Nicolau António Nogueira do Vale da Gama, barão e visconde de Nogueira da Gama.

avós de Francisco Xavier Calmon Cabral da Silva, 3° barão de Itapajipe.

TítulosEditar

Agraciada com o baronato de criado por decreto de 12 de dezembro de 1825 e com o condado por decreto de 12 de outubro de 1826, ambos de D. Pedro I do Brasil. Título de origem toponímica, tomado a um riacho baiano.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.