António Faria

diretor de cinema português

António Faria (Amarante, 18 de dezembro de 1942) é um cineasta português.[1]

BiografiaEditar

Depois de ter frequentado o curso de Direito nas Faculdades de Direito da Universidade de Coimbra e de Lisboa, António Faria licenciou-se em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Enquanto estudante foi membro da Casa dos Estudantes do Império.[1]

A sua atividade profissional orientou-se para o cinema tendo realizado os seguintes filmes:

Como realizador da Radiotelevisão Portuguesa foi autor de documentários, filmes e programas como:

  • A Chafarica (1970)
  • A Terra da Ermelinda (1971)
  • Catarina Eufémia (1974)
  • Anna Plácido (1977)
  • Teixeira de Pascoaes (1977)
  • Querida Júlia (1978)
  • O Homem que Matou o Diabo ((1978)
  • Descobri (1979)
  • José Afonso Canta (1979)
  • O Desertor (1979)
  • Edmundo Pedro, Memória da Fuga do Campo do Tarrafal (1996)
  • O Grande Lagar da Ira (1997).[5]

Algumas obras em livroEditar

  • Emenda e soneto. Mem Martins : Europa-América, 1987.
  • Consciência crítica do cinema em Portugal. Baixa da Banheira : Manuel Miranda, 1973.
  • A Casa dos Estudantes do Império : itinerário histórico. Lisboa : Câmara Municipal-Biblioteca Museu República e Resistência, 1995.
  • Linha estreita de liberdade : a Casa dos Estudantes do Império. Lisboa : Colibri, 1997. ISBN 972-8288-78-6
  • Fumos de glória. Lisboa : Colibri, 1998.
  • Uma página da história de Angola : morte de Mutu-Ya-Kevela e aniquilamento da revolta do Bailundo (1902) numa leitura do relatório do tenente Pais Brandão. Lisboa : Centro de História da Universidade de Lisboa, 1997.
  • Conceção de história e prática política : o Abade Correia da Serra (1751-1823). Serpa : Câmara Municipal, 2001.
  • Introdução ao cinema angolano. Huambo : A. J. Faria. 1965.
  • Obra ao branco : estudo de historiografia angolana. Lisboa : Universitária, 2002. ISBN 972-700-379-6.[6]


Referências

  1. a b c António Faria na página CinePT.
  2. a b c António Faria no IMDB.
  3. Sertório na página CinaPT.
  4. Os Flagelados do Vento Leste na página CinePT.
  5. A referência para o conjunto da obra é António Faria na página CinePT.
  6. A fonte para o conjunto das obras é o registo do Catálogo Geral da Biblioteca Nacional.
  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.