Abrir menu principal
António Guedes de Amorim
Nascimento 26 de outubro de 1901
Sedielos, Portugal
Morte 11 de março de 1979 (77 anos)
Lisboa, Portugal
Nacionalidade Portugal Português
Ocupação Escritor jornalista
Prémios Prémio Ricardo Malheiros (1939)
Magnum opus Aldeia das águias

António Guedes de Amorim (Sedielos, Peso da Régua, 26 de Outubro de 1901Lisboa, 11 de Março de 1979) foi um escritor[1] e jornalista português.[2][3]

BiografiaEditar

Nasceu em Sedielos, Peso da Régua, em 1901 e começou por uma actividade comercial. Abandonou-a cedo para se entregar ao jornalismo, datando dos 18 anos a primeira colaboração. No seu autodidactismo, assimila um certo agnosticismo empírico, com uma simpatia especial por Karl Marx. Posteriormente converteu-se ao catolicismo.[4]

ObraEditar

A sua obra reflecte a larga experiência do jornalista, tendo colaborado na revista Ilustração [5] (iniciada em 1926), no Mundo Gráfico [6] (1940-1941), onde se encontram várias novelas da sua autoria, e ainda na Semana Portuguesa [7] (1933-1936). Insatisfeito na matéria, refugiou-se na religião; no estudo de S. Francisco de Assis encontra a tranquilidade, que o levou até à Palestina seguindo os passos de Cristo. Mostra-se especialmente um contista-novelista de interesse.

Ficção: Novela e conto

  • Bailarina Negra, Morfina, A Mulher do Próximo;
  • Escravos da Morte;
  • Reabilitação;
  • Anjos na Encruzilhada, contos;
  • Almas sem Medo;
  • Patamar;
  • Os Barcos descem o Rio;
  • Caminhos Fechados;
  • A Cidade e o Sonho;
  • A Máscara e o Destino;
  • Janelas sobre o Passeio
  • A Espada dos Arcanjos (1968)

Romance

  • O Homem da Rua;
  • Casa de Judas;

Biografia

  • Francisco de Assis - Renovador da Humanidade (1960).

Viagens

Referências

  1. António Guedes de Amorim. In Diciopédia 2005 [DVD-ROOM]. Porto: Porto Editora, 2004. (ISBN 972-0-65258-6)
  2. «António Guedes de Amorim». Infopédia. Consultado em 24 de dezembro de 2012 
  3. Grémio Literário Vilarealense. «Guedes de Amorim / Ciclos - Contistas Ruralidade Trasmontana e Alto-Duriense». Câmara Municipal de Vila Real. Consultado em 24 de dezembro de 2012 
  4. Manuel dos Santos Alves (1977). Sinopse de literatura portuguesa, pág. 165.
  5. Rita Correia (16 de Junho de 2009). «Ficha histórica: Ilustração (1926-)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 6 de Novembro de 2014 
  6. Jorge Mangorrinha (Junho de 2014). «Ficha histórica: Mundo Gráfico(1940-1948)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 14 de Janeiro de 2015 
  7. Rita Correia (16 de dezembro de 2016). «Ficha histórica:Semana Portuguesa: revista de informação e crítica (1933-1936)» (PDF). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 8 de setembro de 2017 


  Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.