Abrir menu principal

O título de Visconde de Alijó foi criado por decreto de 4 de Julho de 1905 do Rei D. Carlos I de Portugal, a favor de António Pinto de Magalhães[1][2]

TitularesEditar

1. António Pinto de Magalhães, 1.º Visconde de Alijó[2]

2. António Pinto de Magalhães, 2.º Visconde de Alijó, filho do anterior, foi Presidente da Câmara dos Provadores do Instituto do Vinho do Porto[2]

Obs. Este título, por vezes, tem sido confundido com o de Visconde da Ribeira de Alijó. Chegando mesmo a ser nomeado António Pinto de Magalhães, 1.º Visconde de Alijó, como 4.º Visconde da Ribeira de Alijó.

"Dom Carlos por Graça de Deus, Rei de Portugal e dos Algarves etc., faço saber aos que esta minha carta virem que, atendendo às qualidades e circunstâncias de António Pinto de Magalhães, residente na cidade do Porto, e querendo dar-lhe um testemunho autêntico da minha consideração e apreço pela sua pessoa: Hei por bem conceder-lhe o Título de Visconde de Alijó em sua vida. Pelo que, mandando eu passar ao agraciado a presente carta a fim de poder chamar-se d'ora em diante VISCONDE de ALIJÓ e gozar deste título com as honras, pregorrativas, preeminências e obrigações, que pelas Leis e Regulamentos se acharem estabelecidas .... Dada no Paço das Necessidades, em 4 de julho de 1905 = El Rei = etc."

Referências

  1. Arquivo Nacional Torre Tombo (Lisboa), Registo Geral das Mercês – D. Carlos I de Portugal, Lvº 24, fl. 12, de 4 de julho de 1905.
  2. a b c Fidalgos e Morgados de Vila Real e seu Termo, vol. II-pag. 300.