Antônio Prudente Meirelles de Moraes

Antônio Prudente Meirelles de Moraes (Professor Antônio Prudente) (Piracicaba, 8 de julho de 1906 - Rio de Janeiro, 17 de setembro de 1965) foi professor de medicina e cirurgião dedicado à cirurgia reconstrutiva no tratamento do câncer e da hanseníase. Foi um dos pioneiros, junto com sua esposa Carmem Prudente, na luta popular contra o câncer no Brasil.[1][2][3]

Antônio Prudente
Antônio Prudente Meirelles de Moraes
Conhecido(a) por Oncologia
Nascimento 8 de julho de 1906
Piracicaba, Brasil
Morte 17 de julho de 1965 (59 anos)
Rio de Janeiro, Brasil
Alma mater
Instituições
Campo(s) Medicina

Biografia editar

Antônio Prudente era filho de Antônio Prudente de Moraes (sexto filho de Prudente de Moraes, 1º presidente civil da república) e de Maria França Meirelles.[4][5] Formou-se pela Faculdade de Medicina da USP em 1928, e se aperfeiçoou, em Berlim, com o médico alemão Prof. Franz Keysser, em técnicas reconstitutivas de tecidos afetados por tumores, utilizando bisturis elétricos, desenvolvidos por Keysser e sua equipe [1]. A eletrocirurgia, nessa época, havia aberto novas possibilidades de tratamento de tumores até então considerados inoperáveis.[4]

Em 1931 regressou ao Brasil e foi nomeado Prof. Assistente na cadeira de Técnica Cirúrgica da Faculdade de Medicina da USP. A partir de 1935 assumiu a cadeira de Prof. Catedrático de Cirurgia Reparadora e Plástica da Escola Paulista de Medicina.[2]

Em 1933 publicou uma série de cinco artigos no jornal O Estado de S.Paulo, iniciando a luta popular contra o câncer. Um ano depois, em 1934, criou a Associação Paulista de Combate ao Câncer, que estaria à frente da campanha contra o câncer.[1]

Assumiu o cargo de cirurgião do Departamento Estadual de Lepra, onde trabalhou até 1937 como cirurgião plástico no atendimento a pacientes devastados pela hanseníase. Foi duas vezes diretor do Serviço Nacional de Câncer do Ministério da Saúde e Vice-Presidente da Sociedade Pan-Pacífica de Cirurgia.[2]

Sua esposa, Carmen Anne Dias Prudente, fundou a Rede Feminina Nacional de Combate ao Câncer, e ajudou nas campanhas para arrecadação de fundos para a construção de um hospital [6][7][8]. O esforço do casal culminou com a inauguração do Instituto Central do Hospital Antônio Cândido Camargo (A.C. Camargo), em São Paulo, no dia 23 de março de 1953.[3][9]

Presidio o VI Congresso Internacional de Câncer, da União Internacional Contra o Câncer, em São Paulo, em 1953. O encontro reuniu mais de mil estudiosos do tema, sendo a primeiro evento desse porte em relação ao câncer no país.[3]

Homenagens editar

Em sua homenagem, há ruas em São Paulo e em São Bernardo do Campo [10], um hospital em Fortaleza [11], um hospital em Natal, a Fundação Antônio Prudente, mantenedora do Hospital A.C. Camargo[12] e o Centro Antônio Prudente para Pesquisa e Tratamento do Câncer, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo [13]

Em 20 de abril de 1983, foi lançado um selo, em sua homenagem, pelos Correios.[5][14]

Publicação científica editar

Publicou 211 trabalhos científicos relacionados à cirurgia plástica ou reconstruções. Escreveu 7 livros, entre eles; “Cirurgia Plástica Mamária” (1936), “Reparação no Câncer” (1939), “Tratamento de Feridas” (1941), “Novas Técnicas Operatórias de Cirurgia do Câncer” (1951) e “Amputação Interescápulo-torácica no Tratamento do Câncer” (1960) [1]. Ministrou conferências em inúmeros países e pertenceu a mais de 27 sociedades médicas, entre elas: American College of Surgeons, Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Societé des Chirurgiens de Paris, Society of Head and Neck Surgeons, Societat Italiana de Cancerologia e Sociedad Argentina de Cirugia.[2]

Referências

  1. a b c d Schneider, Carlos Alberto Rodrigues (1989). «Histórico da Fundaçäo Antônio Prudente» (PDF). Acta oncol. bras: 7–11. Consultado em 14 de novembro de 2020 
  2. a b c d «Antônio Prudente M. de Morais - TCBC». CBCSP. 20 de dezembro de 2016. Consultado em 13 de novembro de 2020 
  3. a b c Teixeira, Luiz Antonio (2012). O câncer no Brasil: passado e presente. Rio de Janeiro: Outras Letras 
  4. a b «Biografias». A. C. Camargo Cancer Center 
  5. a b «Um Selo Uma História – Filatelia Ananias». Consultado em 13 de novembro de 2020 
  6. «Morre fundadora do Hospital do Câncer - Brasil». Estadão. Consultado em 13 de novembro de 2020 
  7. «Crítica: Bom resgaste histórico mostra início da luta ao câncer no país - 21/02/2015 - Ilustrada». Folha de S.Paulo. Consultado em 14 de novembro de 2020 
  8. Bueno, Eduardo (2015). O Sonho de Carmem. Como a sociedade ajudou a transformar a história do câncer no Brasil. [S.l.]: Comunique 
  9. «Red de Portales University Page». www.universia.net. Consultado em 13 de novembro de 2020 
  10. «Decreto 1086 1966 de São Bernardo do Campo SP». leismunicipais.com.br. Consultado em 13 de novembro de 2020 
  11. «Unidades de atendimento Hapvida». Hapvida - Faz Bem Pra Você. Consultado em 13 de novembro de 2020 
  12. «São Paulo inaugura centro internacional de oncologia nesta quinta-feira - Saúde». Estadão. Consultado em 13 de novembro de 2020 
  13. «CEPID». cepid.fapesp.br. Consultado em 13 de novembro de 2020 
  14. «Antônio Prudente de Morais» 

Ver também editar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Ligações externas editar