Antonio Alatorre

Antonio Alatorre Chávez (Autlán de Navarro, Jalisco, 25 de julho de 1922 - Cidade do México, 21 de outubro de 2010) foi um escritor, filólogo e tradutor mexicano. Respeitado acadêmico da literatura, ficou famoso devido à sua influência nos ensaios acadêmicos sobre literatura espanhola, e ainda por seu livro Los 1001 años de la lengua española (Os 1001 anos da língua espanhola),[1][2] obra de divulgação publicada em 1979 e que tenta dar a conhecer de um jeito agradável, simples e apenas breve a História da língua espanhola.[3]

Antonio Alatorre
Nome completo Antonio Alatorre Chávez
Nascimento 25 de julho de 1922
Autlán de Navarro, Jalisco, México
Morte 21 de outubro de 2010 (88 anos)
Cidade do México, México
Nacionalidade México Mexicano
Ocupação Filólogo

EstudosEditar

Alatorre cursou o ensino secundário em um seminário católico a finais dos anos trinta, onde aprendeu latim, grego, francês e inglês.
Em 1943 começa sua carreira de Direito na Universidade Autónoma de Guadalajara, mesma que va deixar em 1944 para estudar Literatura de 1947 a 1950 na Universidade Nacional Autónoma de México e Filologia em El Colegio de México, onde é discipulo de Raimundo Lida.
Alatorre rumou a continuar seus estudos em França e Espanha com nomes como Raymond Lebergue e Marcel Bataillon.

Referências

  1. Fallece el filólogo y escritor mexicano Antonio Alatorre, ABC, 22 de octubre de 2010, consultado el 22 de octubre del mismo año.
  2. Antonio Alatorre o El placer de hacer las cosas bien
  3. «(Espanhol) Fondo de Cultura Económica Espanha - Os 1001 anos da língua espanhola por Antonio Alatorre». Consultado em 20 de maio de 2011. Arquivado do original em 24 de dezembro de 2009 
  Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.