Abrir menu principal

Numa planta, o apoplasto é o conjunto dos compartimentos existentes exteriormente à membrana plasmática[1], onde ocorre difusão simples. É interrompido pelas bandas de Caspari, por espaços preenchidos por ar entre as células e pela cutícula da planta. Estruturalmente, o apoplasto é formado pelo contínuo de paredes celulares de células adjacentes, assim como pelos espaços extracelulares, formando um compartimento comparável ao simplasto. A rota apoplástica facilita o transporte de água e de solutos através de um tecido ou órgão (Cambell and Reece, 2002). A este processo é dado o nome de transporte apoplástico.

A apoplasto desempenha um papel importante nos processos de comunicação da planta com o meio ambiente. A principal fonte de carbono para a planta, o dióxido de carbono, necessita de se solubilizar no apoplasto antes de ser transportado para dentro do cloroplasto e consumido durante a fotossíntese. Nas raízes, os iões difundem-se para o apoplasto da epiderme, antes de serem transferidos para o simplasto com auxílio de canais iónicos e antes de serem transportados pela planta devido à corrente de transpiração.

De maneira similar, todas as moléculas gasosas emitidas ou recebidas pela planta, tais como hormonas vegetais ou feromonas, têm que passar pelo apolasto. O apoplasto é também local para comunicação célula a célula. Durante estresse oxidativo local, o peróxido de hidrogénio e o anião superóxido podem-se difundir pelo apolasto e transportar um sinal de alerta para as células vizinhas. Em adição a isto, uma alcalinização local do apoplasto devido ao stress indicado, poderá ser difundido num tempo de minutos, para o resto da planta, através do xilema, desencandeando uma resistência sistémica adquirida (Felle et al., 2005).

Referências

  1. Burkhard Sattelmacher (2001) The apoplast and its significance for plant mineral nutrition[ligação inativa] New Phytologist 149 (2), 167–192. doi:10.1046/j.1469-8137.2001.00034.x
  1. Cambell, N.A., Reece, J.B. (2002). Biology. California: Benjamin Cummings. 753-754. ISBN 0-8053-6624-5
  2. Felle HH, Herrmann A, Hückelhoven R, Kogel K-H (2005) Root-to-shoot signalling: apoplastic alkalinization, a general stress response and defence factor in barley (Hordeum vulgare). Protoplasma 227, 17 - 24.
  3. Salibury F, Ross C (1991) Plant Physiology. Brooks Cole, pp 682, ISBN 0-534-15162-0.

Ver tambémEditar