Arbeitertum

Arbeitertum (Trabalho em português) foi um jornal quinzenal alemão orientado para os leitores das classes trabalhadoras e editado por Reinhold Muchow. Tinha um posicionamento anti-marxista e anti-capitalista.[1] No início da década de 1930, foi patrocinado pelo Partido Nazi e, em 1933, tornou-se a publicação oficial da Frente de Trabalho Alemão.[1][2][3] Foi, portanto, utilizado para explicar ás classes trabalhadoras a posição do Partido em assuntos laborais, com contribuições de muitos líderes do partido.[4] Der Angriff e Der Erwerbslose foram os outros dois jornais criados pelo Partido Nazi com o mesmo objectivo.[4]

Referências

  1. a b Waldo Chamberlin, Industrial Relations in Germany 1914-1939, p. 102.
  2. Thomas Houlihan (1 de Abril de 2009). Kriegsprache. [S.l.]: Lulu.com. p. 15. ISBN 978-0-578-01849-2. Consultado em 26 de Dezembro de 2014 
  3. Jan-Pieter Barbian (29 de Agosto de 2013). The Politics of Literature in Nazi Germany: Books in the Media Dictatorship. [S.l.]: Bloomsbury Publishing. p. 34. ISBN 978-1-4411-7923-4. Consultado em 26 de Dezembro de 2014 
  4. a b Conan Fischer, The Rise of National Socialism and the Working Classes in Weimar Germany, p. 150.
  Este artigo sobre meios de comunicação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.