Artuque

general e governador seljúcida; pai dos fundadores do beilhique Artúrquida

Artuque Bei, Artuk Beg, Artuq ibn Aksab, Artuk ibn Eksük, Ortoq ibn Aksab, também conhecido apenas como Artuque, Ortoque (Ortok), ibn Aksab ou ibn Eksük ("filho de Aksab/Eksük"; m. 1091) foi um comandante militar turco oguz do Império Seljúcida do século XI. Foi governador seljúcida de Jerusalém entre 1085 e 1091.[1] Apesar do beilhique dos Artúquidas lhe deva o seu nome, o beilhique foi fundado pelos seus filhos 11 anos após a sua morte.

Artuque ibn Eksük
Outros nomes Artuque Bei • Artuk Beg • Artuq ibn Aksab • Ortoq ibn • Aksab • ibn Eksük • ibn Aksab
Morte 1091
Jerusalém
Nacionalidade Império Seljúcida
Etnia Oguz
Ocupação comandante militar e político
Título Governador de Jerusalém (1085–1091)
Religião Islão

Artuque foi um dos comandantes do exército seljúcida na Batalha de Manziquerta, travada em agosto 1071 contra o Império Bizantino no nordeste da Anatólia, que foi decisiva para a conquista subsequente da Anatólia pelos seljúcidas. Artuque participou também nessa conquista, tendo tomado o vale do Yeşilırmak em 1074. Em 1077 esmagou uma revolta contra o sultão seljúcida.[2]

A sua missão seguinte foi a conquista de Amida (atualmente Diarbaquir) aos Maruânidas. Nesta campanha desentendeu-se com o comandante em chefe Fahrüddevlet, que preferia negociar a paz com os Maruânidas. Num ataque de surpresa, Artuque derrotou os reforços dos Maruânidas, mas quando o sultão Malique Xá I soube disso acusou Artuque de desobediência.[3] Devido a isso, em 1084 Artuque foi para a Síria, onde se juntou a Tutuche I, irmão mais novo de Malique Xá e seu opositor. Em 1086, Artuque teve um papel fundamental na derrota de Solimão, filho de Cutalmiche, sultão de Rum, numa batalha entre este e Tutuche pelo controlo da região de Alepo. O sultão de Rum foi morto nessa batalha, Tutuche apodera-se de Alepo e proclama-se sultão da Síria, região que logra dominar completamente à exceção de Antioquia, cujo governo é entregue a Yaghi Siyan por Malique Xá.

Tutuche nomeou Artuque governador Palestina em 1085 e concedeu-lhe Cudus (Jerusalém) como uma icta. Artuque viveu em Jerusalém até morrer em 1091.

FilhosEditar

Artuque teve vários filhos, entre os quais se destacam os seguintes:

Notas e referênciasEditar

BibliografiaEditar


  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.