Abrir menu principal
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada. Foi sugerido que adicionasse esta.
Disambig grey.svg Nota: Para o filme, veja Les cent et une nuits de Simon Cinéma.

“As Cento e Uma Noites” (em árabe: Kitâb Fîhi Hadîth Mi'at Layla wa Layla)[1] é uma obra da literatura árabe, constituída por um conjunto de vinte contos, que apresenta muitas semelhanças com a mais célebre As Mil e uma Noites.[2]

A história da obra é um mistério.[2] Embora alguns considerem a possibilidade de que os contos tenham origem na Pérsia ou na Índia,[3] eles provêm de manuscritos magrebinos (do noroeste de África)[4] os quais, segundo outros autores tiveram origem no al-Andalus (Hispânia muçulmana).[5] A obra surgiu no Ocidente em 1911, quando o arabista francês Maurice Gaudefroy-Demombynes (1862–1957) publicou a tradução em francês de quatro manuscritos magrebinos.[4][6] Em 2010, a orientalista Claudia Ott descobriu o manuscrito mais antigo conhecido, datado de 1234 ou 1235, mas que só contém as primeiras 85 noites.[1] A tradução em alemão desse manuscrito foi publicada em 2012.[7]

A temática e estrutura narrativa são muito semelhantes aos de As Mil e uma Noites — tendo como pano de fundo o imenso mundo muçulmano, as histórias falam de viajantes audaciosos e de aventuras épicas e amorosas, são carregadas de enigmas, desejo e de maravilhas, que encanta o leitor.[3] Além das restantes semelhanças com “As Mil e uma Noites”, “As Cento e Uma Noites” têm a mesma heroína — Xerazade — mas pensa-se que pode ser mais antiga. À exceção do contos “O Cavalo de Ébano” e de “Os Sete Vizires”, também presentes em “As Mil e uma Noites”, as histórias são diferentes nas duas obras. Contudo, o espírito de ambas as obras é o mesmo e os estudiosos consideram que a leitura de cada uma delas complementa a outra e permite apreciar de forma mais completa a literatura árabe média.[2] Segundo Claudia Ott, enquanto que “As Mil e uma Noites” falam do mundo árabe oriental, “As Cento e Uma Noites” têm lugar na parte ocidental do mundo árabe.[5]

Referências

BibliografiaEditar

  • Ott, Claudia (2012), 101 Nacht: Aus dem Arabischen erstmals ins Deutsche übertragen von Claudia Ott nach der Handschrift des Aga Khan Museums, ISBN 9783641100988 (em alemão), E-Books der Verlagsgruppe Random House GmbH 


  Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.